Você está aqui: Página Inicial / Política / O DEM de José Serra

Política

Eleições 2010

O DEM de José Serra

por Celso Marcondes — publicado 28/05/2010 15h54, última modificação 17/08/2010 15h56
Foi ao ar o programa do DEM na televisão. O candidato tucano ocupou a maior parte do tempo e disse que com ele o Brasil pode mais.

Foi ao ar o programa do DEM na televisão. O candidato tucano ocupou a maior parte do tempo e disse que com ele o Brasil pode mais.

Nesta quinta 27, foi ao ar o programa de televisão do DEM no horário gratuito do TRE. Como se esperava, José Serra ocupou a maior parte dos dez minutos do espaço. Para tentar driblar a legislação e não serem acusados de propaganda eleitoral antecipada, os democratas apresentaram o candidato discursando no ato de lançamento de sua candidatura, também organizado pelo DEM, dia 10 de abril.

No programa, Serra e dirigentes do Democratas foram fiéis ao roteiro que a campanha tucana vem seguindo até aqui. Leia .

“O Brasil pode mais” é o mote, lembrado pelo candidato em seu discurso. Ele sintetiza a estratégia tucana: não se confrontar com Lula e seu legado, posicionar-se como quem tem mais condições de dar continuidade à obra.

Sem gravata, mangas arregaçadas, Serra caprichou na deferência à classe trabalhadora, “a verdadeira construtora das riquezas do País”. Depoimentos de trabalhadores que construíram o Rodoanel ilustraram a tentativa de vincular o candidato ao eleitorado lulista.

O “pode mais” ganhou destaque nas áreas da Saúde e da Segurança, aparentemente os temas populares que devem ganhar mais destaque em sua campanha.

“Sem picuinhas” ou “mesquinharias”, “vamos juntos brasileiros e brasileiras”, ele falou e coube ao senador Agripino Maia (DEM/RN) a “tradução” do que pretendia dizer aí. Explicou Agripino num aparição fugaz: “ é triste ver o PT usar seu espaço de propaganda para semear a discórdia”. A “discórdia” fomentada pelos petistas seria aquela entre pobres e ricos, relembrou para os não iniciados.

No total, nada de novo, embora tenha chamado à atenção a produção pobre do programa, que deixou a nítida impressão de ter sido feito às pressas, sem esmero e requintes visuais.

Para quem patina nas pesquisas e pela enésima vez ouviu um não de Aécio Neves, pareceu pouco.

Ficam duas indagações:

1. Será que o DEM também receberá multa do TSE ou ele conseguiu de fato driblar a legislação?

2. Se o Datafolha atribuiu ao programa de TV do PT levado ao ar na semana passada a subida de 7 pontos percentuais de Dilma e a queda de 5 de Serra na última pesquisa do instituto, podemos esperar que o tucano reverterá boa parte deste revés no próximo levantamento?

Com a palavra, o leitor.