Você está aqui: Página Inicial / Política / Ministro defende regulação da mídia, mas não para já

Política

Democracia

Ministro defende regulação da mídia, mas não para já

por Redação Carta Capital — publicado 03/04/2013 17h46, última modificação 03/04/2013 17h46
Em meio a críticas, Paulo Bernardo defende que foco da pasta nesta ano seja em infraestrutura de telecomunicações

Em meio a críticas dentro do próprio partido, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse ser favorável a um marco regulatório para a mídia mas ressalvou: essa não é "a grande prioridade" da sua pasta em 2013.

"Neste ano nós queremos fazer um grande plano de investimento em infraestrutura de telecomunicações. Essa vai ser a nossa grande prioridade. Se tivermos espaço para fazer mais do que isso, vamos também trabalhar em outros projetos", disse o ministro, segundo a Folha de S. Paulo.

Ainda segundo o jornal, ele disse que a regulação deverá ocorrer, mas não sabe se isso acontecerá no mandato de Dilma Rousseff. Bernardo não quis comentar a resolução do partido que pedia pressa ao tema e refutou a crítica de petistas de que ele seria o "coveiro da regulamentação".

O conflito foi tema da reportagem de capa da última CartaCapital, que mostrou como Bernardo relegou a segundo plano uma bandeira histórica do seu partido. "O que me contrapõe a companheiros é que às vezes a pessoa vê a capa da revista, não gosta e quer que eu faça um marco regulatório, o que não é possível," disse Paulo Bernardo, segundo a reportagem.

registrado em: ,