Você está aqui: Página Inicial / Política / Lula, em Lisboa, zomba de intrigas com Dilma

Política

Portugal

Lula, em Lisboa, zomba de intrigas com Dilma

por Blog Tijolaço — publicado 29/03/2011 10h02, última modificação 29/03/2011 10h20
"Não há hipótese de haver divergência (com Dilma). Porque quando houver divergência, ela está certa”, afirma o ex-presidente. Por Brizola Neto

Por Brizola Neto

“Não há hipótese de haver divergência (com Dilma). Porque quando houver divergência, ela está certa”.
A frase do ex-presidente Lula, dita na entrevista que concedeu ontem à BBC e ao Valor Econômico deve ter deixado desanimada a turma que vive sonhando em coloca-lo – e a Presidente Dilma Roussef – no meio de um jogo de vaidades e disputas.

Vou reproduzir os principais trechos:

Direitos Humanos no Irã

Em relação à atitude de Dilma em apoiar na ONU uma investigação  sobre o tema designando um relator para apurar as denúncias feitas contra aquele país:

“Eu sou favorável a que tenha um relator. Acho que foi correto o voto do Brasil. Tem que ter um relator que vá ao Irã investigar. O relator não é obrigado a concordar com as acusações feitas por outros países, mas você não pode impedir que vá alguém investigar se há ou não atrocidades contra os direitos humanos”

Sobre a visita de Obama

“Eu esperava que ele anunciasse algumas coisas mais importantes, por exemplo que o Brasil deveria entrar no Conselho de Segurança da ONU, que ele reconhecesse e cumprisse a decisão da OMC (Organização Mundial do Comércio) em relação à questão do algodão, que ele diminuísse a taxação do etanol e mais ainda que ele retomasse as negociações da rodada de Doha, porque a rodada de Doha parou por causa das eleições nos Estados Unidos e na eleição da Índia. Porque somente o comércio é que vai criar condições para a melhoria da vida dos países mais pobres”.

Sobre inflação e economia

“Acho que se tem um país que não tem problemas é o Brasil. O Brasil continua crescendo, a inflação está controlada e vai ser controlada, não há nenhuma perspectiva de a inflação voltar. Eu tenho lido e ouvido pronunciamentos da presidenta Dilma de que ela fará todo o esforço possível para não permitir a volta da inflação, porque ela sabe que a volta da inflação significa prejuízo aos trabalhadores que vivem de salário”.

E Lula ainda sai à francesa sobre sua ausência no jantar com Barack Obama. Diz que não foi para não fazer sombra à Presidenta. Tá bem, Lula, o recado já tinha sido dado, agora é não passar recibo dele.

Você pode ler a entrevista na íntegra, aqui.

*Matéria publicada originalmente no Tijolaço

registrado em: