Você está aqui: Página Inicial / Política / Kassab diz que manterá contrato questionado na Justiça pelo MP

Política

São Paulo

Kassab diz que manterá contrato questionado na Justiça pelo MP

por Agência Brasil publicado 26/11/2011 22h13, última modificação 06/06/2015 18h56
Prefeito paulistano e outros 22 réus são acusados de improbidade administrativa por fraudes no sistema de inspeção ambiental veicular do município

Vinicius Konchinski, da Agência Brasil

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse neste sábado 26 que vai manter o contrato da administração municipal com a empresa Controlar para realização de inspeções veiculares, obrigatórias na cidade. Kassab disse também que a decisão da Justiça de bloquear seus bens devido à contratação da Controlar será questionada pela Procuradoria-Geral do Município.

“Tenho respeito pelo Poder Judiciário, pelo MP [Ministério Público], mas estou muito tranqüilo em relação às nossas ações”, disse Kassab, durante visita ao Autódromo de Interlagos, onde neste fim de semana ocorre o GP Brasil de Fórmula 1. “A prefeitura tem certeza que está correta“, disse.

Kassab e outros 22 réus, incluindo o secretário de Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, são acusados de improbidade administrativa por fraudes no sistema de inspeção ambiental veicular do município. Sexta-feira (25), uma liminar da 11ª Vara da Fazenda Pública determinou, além do bloqueio dos bens do prefeito, a realização de nova licitação para escolha de uma nova empresa para a inspeção.

Kassab, porém, disse que a Justiça não determinou que o atual contrato seja interrompido. Por isso, a Controlar continuará prestando serviços à prefeitura. “Existe uma decisão do juiz para que seja feita [uma nova licitação], não uma determinação para que se suspenda o programa, nem as atividades da Controlar”, justificou o prefeito.

Em nota, a Controlar informou sexta-feira que está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos sobre o caso. “A empresa reitera que toda sua atuação tem sido baseada em princípios de honestidade, ética, transparência e respeito à população”.

registrado em: ,