Você está aqui: Página Inicial / Política / Kassab agora ensaia criar novo partido

Política

São Paulo

Kassab agora ensaia criar novo partido

por Redação Carta Capital — publicado 09/02/2011 12h30, última modificação 10/02/2011 14h45
Depois de aproximação com a base do governo federal, o prefeito de São Paulo ventila mais um passo na revolta contra o DEM. Foto: Agência Brasil
Kassab agora ensaia criar novo partido

O prefeito de SP, Gilberto Kassab, é acusado por suposta irregularidade em contrato com empresa de inspeção veicular. Foto: Agência Brasil

A movimentação de bastidores do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, para deixar o DEM e se aproximar do governo federal continua nas páginas dos jornais paulistas. Depois das primeiras especulações - de que ele migraria para o PMDB - e da aproximação da base aliada, agora a notícia é de que Kassab pretende liderar a formação de uma nova sigla.

O novo partido, já previamente batizado de PDB (Partido da Democracia Brasileira), segundo a Folha de S.Paulo, seria formada por 20 parlamentares desertores de outras siglas em Brasília, além do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (DEM) e do próprio Kassab, líder do movimento.

Ainda de acordo com o jornal, a nova sigla serviria como uma "transição" para a aproximação definitiva com PMDB e PSB, a um dos quais o PDB se associaria no futuro. A aproximação entre o prefeito paulistano e a base governista federal se intensificou quando ACM Neto (DEM-BA) foi eleito líder da bancada na Câmara, vencendo o candidato apoiado por Kassab, Eduardo Sciarra.

A reação do partido à provável saída de Kassab é comandada pelo presidente da sigla, Rodrigo Maia. Quando o boato surgiu, ele já avisou que reivindicaria o mandato do prefeito baseado na lei de fidelidade partidária. Com as novas articulações, deu novas declarações dizendo que o DEM "fez um grande investimento em Kassab".

Em entrevista ao jornal Valor Econômica, Maia revelou que, após a eleição, Kassab disse que "o DEM acabou" e que a solução seria uma fusão com o PMDB. Perguntado sobre a possibilidade de o partido virar governista, Maia respondeu que "teríamos um partido transexual, seria fazer transformismo". Mas admitiu que é preciso reformar a sigla, que saiu muito enfraquecida no pleito do ano passado.

registrado em: ,