Você está aqui: Página Inicial / Política / Juiz pede investigação de compra de votos com drogas na Paraíba

Política

Eleições

Juiz pede investigação de compra de votos com drogas na Paraíba

por Rede Brasil Atual — publicado 07/09/2010 16h31, última modificação 07/09/2010 16h31
"É uma situação constrangedora a gente saber que pessoas ainda são capazes de votar com o objetivo de ganhar uma, duas ou três pedras de crack. É uma infelicidade, mas uma realidade aqui em Solânea"

"É uma situação constrangedora a gente saber que pessoas ainda são capazes de votar com o objetivo de ganhar uma, duas ou três pedras de crack. É uma infelicidade, mas uma realidade aqui em Solânea"

Por Fábio Oscar, especial para a Rede Brasil Atual

São Paulo – O juiz eleitoral Ozenival dos Santos Costa informou à Polícia Federal a existência de prática de compra de votos usando pedras de crack no município de Solânea, a 140 quilômetros de João Pessoa, na Paraíba. Segundo ele, o esquema conta com a participação de políticos e cabos eleitorais e chega utilizar o serviço de mototáxi para a distribuição dos entorpecentes.

Em entrevista à Rede Brasil Atual, o magistrado não citou os nomes dos envolvidos no pedido de investigação, mas afirma que políticos participam do esquema e que consumidores são utilizados por cabos eleitorais no processo de troca de votos pelo crack. "É uma situação constrangedora a gente saber que pessoas ainda são capazes de votar com o objetivo de ganhar uma, duas ou três pedras de crack. É uma infelicidade, mas uma realidade aqui em Solânea", relatou.

O juiz disse ainda “que não esperava uma repercussão tão grande do caso, já que na região o problema tinha se transformado em algo comum. "No dia 10 (sexta-feira) vamos fazer uma reunião com todos os juizes eleitorais aqui para definir como será o andamento do pleito”, comentou.

De acordo com Costa, na eleição de 2008, suspeitos de participar do esquema de distribuição da droga foram monitoradas pela polícia a partir de denúncias feitas pela Justiça Eleitoral e que agora se tornam públicas.

"A troca de votos por droga em Solânea acontece principalmente nas vésperas da eleição e no dia das votações", revelou. A denúncia fez com que a Polícia Federal revisse os planos de segurança para essas eleições.

De acordo com o delegado Derly Brasileiro, que na sexta-feira (3) participou de uma audiência pública no município, a intenção agora é enviar policiais federais até dez dias antes do pleito para coibir a prática da corrupção eleitoral. O distrito eleitoral de Solânea, que abrange ainda o município de Casserengue, possui 22.449 eleitores.

registrado em: