Você está aqui: Página Inicial / Política / Jobim: “Comissão da Verdade deve ser aprovada ainda neste semestre”

Política

Ditadura

Jobim: “Comissão da Verdade deve ser aprovada ainda neste semestre”

por Sul 21 — publicado 29/04/2011 14h50, última modificação 01/05/2011 14h46
Ministro ressaltou que este sentimento vem também das primeiras conversas que já teve com a oposição. Ele minimizou possíveis reações por parte de militares. Por Felipe Prestes

Por Felipe Prestes

O ministro da Defesa Nelson Jobim não vê empecilhos para a criação da Comissão Nacional da Verdade, que deverá investigar crimes políticos cometidos pelo estado durante a ditadura. Acredita que a criação da comissão e a própria instalação dela devem ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano. Em Porto Alegre, onde participou de um seminário que tem divulgado pelo Brasil o Livro Branco de Defesa Nacional, ele também se reuniu, no final da tarde da quinta-feira (28), com o governador Tarso Genro em uma conversa amigável, mas que teve como pauta importante a possível instalação de uma fábrica alemã de blindados em Santa Maria, cidade em que os dois viveram.

“A criação da Comissão vai ser votada e aprovada ainda neste semestre. Espero que sua instalação ocorra também neste semestre ou no começo do próximo”, afirmou Jobim, em entrevista coletiva, depois do encontro com Tarso Genro, no gabinete do governador. Jobim ressaltou que este sentimento vem também das primeiras conversas que já teve com a oposição. De forma indireta, sem citar as Forças Armadas, ele minimizou possíveis reações por parte de militares. “As coisas estão bem, não há conflito com ninguém”, disse.

Fábrica de blindados

A conversa entre Tarso e Jobim, a portas fechadas, durou cerca de uma hora. O ministro diz que eles conversaram sobre o país, o estado e, até, a América do Sul. O governador disse que se tratara de uma conversa entre dois velhos amigos, mas deixou claro que o papo amistoso teve também um foco, de interesse tanto do Ministério da Defesa quanto do governo do estado: a possível instalação de uma fábrica de blindados em Santa Maria, da alemã KMW.

Nelson Jobim afirmou que Santa Maria é o centro das forças blindadas do Exército no país, e que já conversou com os alemães em Munique recentemente sobre o tema. A princípio haveria a criação de uma oficina para a manutenção de blindados já adquiridos pelo Ministério da Defesa. Depois, a instalação de uma fábrica, que teria como foco não só o Brasil, mas os mercados sul-americano e africano.

A KMW já está procurando terreno em Santa Maria, mas Nelson Jobim e Tarso Genro ressaltam que ainda é incipiente a possível criação da empresa. E anunciam que devem trabalhar em conjunto estado, ministério e município para induzir a instalação da fábrica da empresa alemã. “Não estamos anunciando nenhuma fábrica em Santa Maria, mas um programa de trabalho com a Prefeitura e o Ministério da Defesa para que isto ocorra”, disse o governador.

Tarso contou que, no próximo dia 13, quando vai para a cidade da região central do estado, pretende assinar com o prefeito Cezar Schirmer (PMDB), um protocolo de cooperação com a prefeitura. “A ideia é que no dia 13 nós assinemos um protocolo de cooperação com a prefeitura, colocando toda a força institucional, política e de capacidade financeira do estado, no que se refere ao estoque de renúncias fiscais para instalação de centros tecnológicos, para que esta fábrica vá para lá”, disse. O governador foi enfático ao falar de renúncia fiscal. “O que for preciso para a empresa vir nós faremos. A guerra fiscal acabou, todo mundo dá tudo. O diferencial é criar ambiente político de segurança, relação com previsibilidade com as autoridades locais e do estado e a indução de inovação e qualificação tecnológica”.

Interesse por capacitação tecnológica

A ideia de levar capacitação tecnológica para Santa Maria interessa tanto o Ministério da Defesa quanto o governo do estado. Jobim afirmou que a instalação da fábrica seria em cooperação entre brasileiros e alemães. “Por determinação da presidenta Dilma, estamos fazendo a indução da capacitação nacional. O Brasil não é mais comprador líquido de produtos de defesa, ele é parceiro, no sentido de que estes produtos sejam produzidos no Brasil para vincular a defesa com o desenvolvimento nacional”, disse.

Tarso Genro, por sua vez, afirmou que esta ideia de capacitação local é adequada para Santa Maria, que tem, segundo o governador, “uma das melhores universidades do país”, a UFSM. E também se coaduna com o programa RS Tecnópole, que o governo do estado vai lançar para fomentar parques tecnológicos. “O deslanche de uma indústria como esta em Santa Maria vai afetar positivamente toda a região. A cidade tem todas as condições para isto: energia, terra disponível e uma das melhores universidades do Brasil, o que casa com o que Jobim colocou, de instituir fábricas aqui com capacitação tecnológica local”, disse.

Concessão para aeroportos

Ao ser questionado sobre a concessão que o governo federal fará para que empresas cuidem da gestão de aeroportos, o ministro Jobim esclareceu que sua pasta não responde mais sobre o assunto. Afirmou que tudo está a cargo da recém-criada Secretaria da Aviação Civil. Ainda assim, elogiou a medida. “O ministério da Defesa não tem mais nenhuma competência, mas asseguro que a política que está sendo desenvolvida é absolutamente correta. E o problema que temos com os aeroportos é um problema bom, porque decorre de uma capacidade da população de consumir viagens aéreas”.

*Matéria publicada originalmente em Sul 21

registrado em: ,