Você está aqui: Página Inicial / Política / Já são seis as mulheres no novo ministério de Dilma

Política

Novo Governo

Já são seis as mulheres no novo ministério de Dilma

por Celso Marcondes — publicado 14/12/2010 13h44, última modificação 14/12/2010 13h44
Desenvolvimento Agrário e Igualdade Racial são novas pastas definidas. Mais 5 ministérios podem ser ocupados por mulheres

Desenvolvimento Agrário e Igualdade Racial são novas pastas definidas. Mais 5 ministérios podem ser ocupados por mulheres

Avança a cota de mulheres no ministério da presidenta eleita Dilma Rousseff. Maria Lúcia Falcon foi convidada para assumir o Ministério do Desenvolvimento Agrário. Engenheira agrônoma, hoje é a titular da Secretaria de Planejamento do Governo de Sergipe, comandado pelo petista Marcelo Deda.

No final de semana Dilma já havia convidado a socióloga Luiza Bairros para a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial. Gaúcha radicada na Bahia, hoje ela assume o mesmo cargo no governo de Jaques Wagner e é militante histórica do Movimento Negro.

Caso sejam oficializados os nomes das duas, subiria para 6 o número de mulheres já definidos para o próximo ministério: Miriam Belchior (Planejamento), Ideli Salvatti (pesca e Aquicultura), Helena Chagas (Secom) e Maria do Rosário (Direitos Humanos) são as outras.

Além delas, existem várias no páreo para outras cadeiras:

Meio Ambiente: é quase certa a manutenção da atual ministra Izabella Teixeira.

Secretaria das Mulheres: muito provável que seja a deputada capixaba Iriny Lopes.

Cultura: uma das situações mais complicadas. Entrou na disputa na semana passada a artista Ana de Hollanda, irmã de Chico. Mas o PT mineiro acaba de sugerir o nome de Luiz Dulci, hoje na Secretaria-Geral da Presidência. Outra mulher cotada no princípio, a professora Marilena Chauí, está fora das especulações do momento.

Esportes: a deputada federal gaúcha Manuela D’Ávila estava só na disputa com o atual ministro Orlando Silva. Agora, entrou mais uma mulher no páreo, a deputada federal eleita e ex-prefeita de Olinda, Luciana Santos, ambas são do PCdoB. Ao que parece, esta é a preferida do partido.

Desenvolvimento Social: disputam o cargo a gaúcha Tereza Campello, hoje coordenadora de projetos estratégicos da Casa Civil, e Márcia Lopes, atual ministra.

Para não dizer que não falei de homens: Ciro Gomes, convidado por Dilma Rousseff para assumir o Ministério da Integração Nacional teria informado que prefere a Saúde. Um novo problema para a presidenta resolver.

E o leitor, tem outras sugestões ou sabe de outras articulações de guerreiras para 2011? E o que pensa de Ciro Gomes?

registrado em: ,