Você está aqui: Página Inicial / Política / Henrique Meirelles migra para o PSD

Política

Prefeitura de SP

Henrique Meirelles migra para o PSD

por Redação Carta Capital — publicado 08/10/2011 06h29, última modificação 08/10/2011 16h54
De olho num possível cargo majoritário, o ex-presidente do Banco Central engrossa as fileiras da legenda criada por Gilberto Kassab

Henrique Meirelles, presidente do Banco Central durante o mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (2002-2010), filiou-se ao PSD nesta sexta-feira 7. Meirelles, até então membro do PMDB goiano, também mudou seu domicílio eleitoral para a capital paulista, num sinal de que estaria disposto a concorrer à prefeitura de São Paulo pelo recém-criado partido de Gilberto Kassab.

Em nota divulgada pelo PSD, Meirelles negou que sua filiação seja parte de um “projeto eleitoral”. O ex-presidente do BC disse ainda que visa “contribuir no debate e na formulação de políticas para sustentar e incrementar o nosso desenvolvimento” e que foi motivado pela oportunidade de participar da formação de um “grande partido nacional” desde o início.

Desse modo, Kassab amplia o leque de possíveis candidatos para a sua sucessão no Palácio das Indústrias. Fazem parte da lista o vice-governador paulista, Guilherme Afif, e o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, ambos já filiados ao novo partido.

O convite para juntar-se ao PSD foi feito pelo próprio Kassab há cerca de um mês, e ganhou força com a aprovação do registro da legenda pelo Superior Tribunal Eleitoral (STE) na semana passada. Da parte de Meirelles, a filiação à nova legenda representa a oportunidade de concorrer a um cargo majoritário. Em 2002, ele tentou sair senador pelo PSDB de Goiás, mas foi preterido pelos tucanos e teve de lançar-se para Deputado Federal. Eleito, Meirelles foi imediatamente convidado a assumir o comando do Banco Central, o que forçou sua desfiliação da sigla.

Em 2009, Meirelles foi seduzido pelo PMDB sob o argumento de que poderia concorrer ao governo goiano. Disputas internas, porém, deram a vaga ao então prefeito de Goiânia Iris Rezende. Atualmente o economista é presidente do Conselho Público Olímpico, órgão criado pela presidenta Dilma Rousseff para coordenar as obras da Olimpíada de 2016, a ser realizada no Rio de Janeiro.

Espera-se que Meirelles atue na agenda econômica de seu novo partido, principalmente por meio de contatos no mercado financeiro, uma vez que o PSD contará, no pleito do próximo ano, com poucos recursos no fundo partidário.

registrado em: