Você está aqui: Página Inicial / Política / Genoino viverá "irresignado" até o fim de seus dias

Política

Julgamento do "mensalão"

Genoino viverá "irresignado" até o fim de seus dias

por Redação Carta Capital — publicado 13/11/2012 08h37, última modificação 13/11/2012 08h37
É o que escreveu o advogado Luiz Fernando Pacheco após definição de penas para o ex-presidente petista
Genoino400

Genoino, durante sessão na Câmara, em 2010. O ex-homem forte do PT está condenado pelo STF. Foto: José Cruz / ABr

O advogado Luiz Fernando Pacheco, defensor de José Genoino, afirmou, em nota, que o ex-presidente do PT viverá "irresignado até o fim de seus dias" com a aplicação da pena definida na segunda-feira 11 pelo Supremo Tribunal Federal. Ele foi condenado a 6 anos e 11 meses por corrupção ativa e formação de quadrilha. Uma condenação, segundo Pacheco, "sem o mínimo indício de prova". Confira a nota:

 

"A aplicação da pena é apenas a decorrência maior da injustiça já antes perpetrada. Sua condenação contraria toda a prova dos autos.

Irresignado, o acusado viverá até o fim de seus dias. E isso quer dizer que continuará batalhando junto ao Supremo a causa de sua inocência. Condenação sem o mínimo indício de prova merece reparação seja quando for, onde for e de quem for.

Homem público reconhecido por sua ética, por sua moral ilibada, por sua vida de dedicação ao projeto de País no qual sempre acreditou e acredita. Exemplo de bom servidor, pai, marido e avô. Exemplo de amigo, de companheiro de seus companheiros, de fraterno porém corajoso lutador, que não esmorece e nem esmorecerá jamais diante de qualquer que seja a adversidade.

Homem de guerrilha, prisão e tortura, batalhador congressista que foi, não se impressiona com a condenação de agora. Antes, encara e de peito aberto e cabeça erguida. Foi feito um juízo – e dele mais uma vez discorda firme e energicamente – um juízo de valor sob a égide do Estado de Direito. Convém respeitá-lo.

Aceitá-lo, jamais!

Vencido foi o réu e vencida foi a própria Justiça! Paciência. Resignação, de parte do acusado, nunca! Paciência e submissão às ordens emanadas da mais elevada Corte, sob o regime do Estado de Direito, sim.

Subserviência, jamais!"

Luiz Fernando Pacheco – advogado de José Genoino Neto

 

Leia tamném: