Você está aqui: Página Inicial / Política / "Farei as mudanças necessárias"

Política

Novo comando

"Farei as mudanças necessárias"

por Agência Brasil publicado 19/08/2011 20h19, última modificação 19/08/2011 20h20
Mendes Ribeiro Filho, que assume o Ministério da Agricultura na terça-feira 23, disse ainda que vai permitir fiscalização na pasta

Por Iolando Lourenço e Ivan Richard*

Brasília – O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) deve passar por mudanças nas próximas semana. “Estou fazendo um exame detalhado. Vou imprimir as mudanças que entender necessárias. Se tiver que fazer alguma, vou ter que tirar alguém”, disse na sexta-feira 19 o futuro ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS). Ele tomará posse na terça-feira 23, às 11h, em substituição a Wagner Rossi, que pediu demissão na quarta-feira 17, depois de uma série de denúncias de irregularidades na pasta.

De acordo com Mendes Ribeiro, é natural haver mudanças na área administrativa dos ministérios, quando há troca de comando. “Isso é do dia a dia administrativo. Por isso, há necessidade de que ocorram mudanças. Pretendo imprimir meu ritmo, colocar minha equipe de trabalho. Vou fazer o que tiver que fazer.” Ele também anunciou o primeiro nome de sua equipe. É Caio Rocha, que foi secretário de Agricultura do Rio Grande do Sul durante o governo de Germano Rigotto. Caio será assessor especial de Mendes Ribeiro.

O futuro ministro deu entrevista coletiva na Câmara dos Deputados, pouco depois de se reunir com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. “Foi reunião rápida. Ela pediu todo o cuidado necessário e disse que confiava em mim e que sabia o que eu poderia fazer. Vou colocar as coisas mais transparentes possíveis e permitir todo tipo de fiscalização e controle.”

Na segunda-feira 22, Mendes Ribeiro se reunirá com o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, para obter informações sobre as investigações acerca das recentes denúncias envolvendo o Mapa.

Ele descartou ainda qualquer possibilidade de fechar a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao ministério. O órgão está no centro das denúncias de desvio de recursos público e de apadrinhamento político. “A Conab tem uma função extremamente importante.”

*Publicado originalmente em Agência Brasil.

registrado em: