Você está aqui: Página Inicial / Política / Ex-porteiro confessa assassinato de ex-ministro do TSE

Política

Investigação

Ex-porteiro confessa assassinato de ex-ministro do TSE

por Redação Carta Capital — publicado 16/11/2010 14h04, última modificação 16/11/2010 15h04
A polícia civil do Distrito Federal chegou ao criminoso por meio de informações da família. Um dos filhos do ex-porteiro, que é presidiário, teria confessado o crime do pai na cadeia

Há mais de um ano sem desfecho, o assassinato do casal Villela pode estar perto do fim. A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu nesta segunda-feira 15, em Minas Gerais, um dos suspeitos do crime, o ex-porteiro do Bloco C da 113 Sul – local onde foram assassinados a facadas o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) José Guilherme Villela, sua esposa Maria Carvalho Mendes Villela e a empregada Francisca Nascimento da Silva. O ex-porteiro teria confessado a execução dos três.

Segundo informações do jornal Correio Braziliense, a polícia chegou ao criminoso por meio de informações da família. Um dos filhos do ex-porteiro, que é presidiário, teria confessado o crime do pai na cadeia.

A filha do casal, Adriana Villela, até o momento é a suposta mandante do crime e aguarda julgamento em liberdade.

Releia a matéria de Cynara Menezes sobre o caso. Clique aqui:

registrado em: