Você está aqui: Página Inicial / Política / Ex-deputado do DEM contesta título de doutor recebido por Lula

Política

Doutor Lula

Ex-deputado do DEM contesta título de doutor recebido por Lula

por Redação Carta Capital — publicado 31/03/2011 13h50, última modificação 31/03/2011 13h51
José Carlos Aleluia: "A diplomação contraria a ideia que fizemos de Coimbra pelo fato de que Lula sempre se vangloriou de não haver frequentado qualquer curso"

O ex-deputado pelo Democratas, José Carlos Aleluia, enviou uma carta aberta ao reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva, demonstrando indignação pelo título de doutor honoris causa concedido ao ex-presidente Lula. Dentre as razões, diz que Lula "buscou inculcar a noção de que o sucesso pessoal independe de qualquer esforço no sentido de aprimorar o conhecimento", além de considerar sua administração na área de educação "desastrosa".

Leia abaixo a carta aberta. Abrimos também o espaço para o debate.

Carta aberta ao Professor João Gabriel Silva, magnífico reitor da Universidade de Coimbra

José Carlos Aleluia, professor universitário, Membro da Comissão Executiva do Democratas e Presidente da Fundação Liberdade e Cidadania

Na condição de professor universitário venho perante Vossa Excelência manifestar a minha perplexidade — e porque não dizê-lo–, indignação, diante da concessão do título de doutor honoris causa, pela instituição que ora Vossa Excelência representa, ao ex-Presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

Tomando como referência o significado que tem, para nós brasileiros, a Universidade de Coimbra, entendo que a iniciativa destoa aberta e completamente de toda a sua tradição. Aprendemos que as personalidades que lideraram o processo da Independência e que assumiram os destinos do novo país –a começar do Patriarca, José Bonifácio– formaram seu espírito na Universidade de Coimbra. Aplaudimos com entusiasmo a concessão daquele título a ilustres representantes da contemporânea cultura brasileira, a exemplo do saudoso Miguel Reale. Em eventuais excursões a Portugal, todo membro da comunidade acadêmica brasileira sente-se no dever de conhecer a instituição que consideramos parte integrante de nossa história.

A concessão do mencionado título contraria frontalmente toda a idéia que nós fizemos da Universidade de Coimbra pelo fato, sobejamente conhecido, de que o ex-Presidente sempre se vangloriou de não haver freqüentado qualquer curso. Insistentemente, perante a nossa juventude, buscou inculcar a noção de que o sucesso pessoal independe de qualquer esforço no sentido de aprimorar o conhecimento. E, sobretudo, por uma administração desastrosa em matéria educacional.

No plano estritamente político, notabilizou-se por institucionalizar a corrupção, alegando inclusive tratar-se de fenômeno arraigado, que não lhe competia combater.

Esteja certo de que, com esse passo temerário, de um só golpe, a Universidade de Coimbra deu-nos uma clara demonstração de não ter qualquer compromisso com o respeito à memória que seus antecessores souberam construir.”

registrado em: