Você está aqui: Página Inicial / Política / Escola Tasso da Silveira reabre depois de 11 dias da tragédia que matou 12

Política

Rio de Janeiro

Escola Tasso da Silveira reabre depois de 11 dias da tragédia que matou 12

por Agência Brasil publicado 16/04/2011 07h26, última modificação 18/04/2011 17h01
A secretaria e a direção da escola decidiram que as salas de aula onde ocorreram os ataques serão remodeladas. Por Renata Girardi

Por Renata Giraldi

Depois de 11 dias da tragédia em Realengo, no Rio de Janeiro, a  escola reabre com nova fachada, mas ainda com sinais do massacre: flores e cartazes permanecem no local. A Secretaria de Educação do município do Rio programou para hoje uma cerimônia denominada reinvenção da escola, reunindo alunos e suas famílias, professores e funcionários.

Os estudantes devem montar um mosaico nos muros, que já ganharam cores novas e até um aquário será instalado no colégio. Paralelamente, a secretaria e a direção da escola decidiram que as salas de aula onde ocorreram os ataques serão remodeladas. A ideia é que se transformem em salas de leitura e atividades complementares.

Desde a tragédia, alunos, parentes, professores e funcionários, segundo as autoridades do Rio, recebem atendimento psicológico na tentativa de superar o trauma. No último dia 7, no começo da manhã, Wellington de Oliveira  invadiu duas salas de aula e disparou cerca de 60 tiros usando duas armas.

O ataque do ex-estudante da Escola Tasso da Silveira provocou 12 mortos e 13 feridos. Ao ser cercado por um sargento da Polícia Militar, o atiradou se suicidou. Nas investigações, os policiais descobriram mensagens deixadas por Oliveira, que alegou ter sofrido bulliyng – violência ocorrida repetidas vezes – no colégio.

Parentes e conhecidos de Wellington de Oliveira informaram que ele tinha um comportamento estranho e se interessava por episódios envolvendo grandes ataques no mundo. A polícia descobriu também que desde o ano passado, o ex-aluno da escola planejava o crime em Realengo.

registrado em: