Você está aqui: Página Inicial / Política / Eleições de 2012 terão participação recorde de mulheres

Política

Igualdade

Eleições de 2012 terão participação recorde de mulheres

por Piero Locatelli — publicado 17/07/2012 16h38, última modificação 17/07/2012 16h46
Devido à nova lei eleitoral, candidaturas femininas aumentam em 76% no pleito deste ano
bancada feminina

Encontro da bancada feminina do Congreso em 2011. Foto: Agência Câmara

As eleições municipais de 2012 terão a maior participação feminina da história brasileira.  A proporção de mulheres entre os candidatos a vereador e prefeito subiu de 22% nas eleições de 2008 para 31% neste ano.

O número de mulheres subiu 73% desde a última eleição municipal, quando 81.251 se candidataram. Neste ano, serão 140.418.

A mudança é puxada pelas novas regras eleitorais aprovadas pelo Congresso Nacional em 2009. Até então, os partidos deveriam reservar 30% das vagas de vereadores para as mulheres. Um partido que tivesse 60 vagas, por exemplo, deveria separar 20 delas - elas poderiam, portanto, ficar "reservadas", porém vazias.

Com a nova redação da lei, “reservar” virou “preencher”. Desde então, 30% do total das candidaturas devem ser obrigatoriamente ocupadas pelo sexo feminino.

No entanto, para a eleição ao Executivo (que não prevê cota), o número de candidaturas femininas é ainda mais baixo. Entre os candidatos a prefeito, só 12,47% são mulheres (1.909). Ainda assim, houve evolução em relação a 2008, quando as mulheres representavam 11,12% do total.

Desde a primeira eleição com cotas, em 1996, o número de candidatas cresce mais rapidamente do que o de mulheres eleitas. Resta saber se as candidaturas femininas neste ano receberão financiamento e empenho dos partidos para competir em condições iguais com os homens, como foi o caso da eleição de Dilma Rousseff , a primeira mulher presidenta eleita no Brasil em 2010.

Mais candidatos

No geral, o número de candidatos no país aumentou 24,5% desde a última eleição devido ao aumento das vagas de vereadores no país. Uma emenda à Constituição de 2009 aumentou a quantidade de políticos nas Câmaras Municipais. Isso possibilitou o lançamento de 84.792 candidaturas.

Apesar da participação masculina ter caído de 76,8% em 2008 para 69,8% neste ano, a quantidade de homens candidatos continuou a crescer. Eles passaram de 298.899 em 2008 para 324.524 neste ano.

registrado em: