Você está aqui: Página Inicial / Política / Dilma promove primeira mulher a posto de oficial superior nas Forças Armadas

Política

Forças Armadas

Dilma promove primeira mulher a posto de oficial superior nas Forças Armadas

por Agência Brasil publicado 23/11/2012 17h40, última modificação 06/06/2015 19h24
Dalva Maria Carvalho Mendes passou de capitã de mar e guerra para contra-almirante, terceiro cargo mais importante da Marinha brasileira

Por Yara Aquino*

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff assinou nesta sexta-feira 23 a promoção da primeira mulher a alcançar o posto de oficial superior nas Forças Armadas. A integrante da Marinha, Dalva Maria Carvalho Mendes, foi promovida de capitã de mar e guerra para contra-almirante, terceiro cargo mais importante da corporação.

Formada em Medicina, com especialização em anestesiologia, a contra-almirante Dalva ingressou na Marinha em 1981, na primeira turma do Corpo Auxiliar Feminino de Oficiais. Durante quase toda sua carreira trabalhou no Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, chegando ao cargo de vice-diretora. Atualmente é diretora da Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória. A contra-almirante tem ainda curso de Política e Estratégia Marítima da Escola de Guerra Naval.

         

A promoção da contra-almirante Dalva foi assinada durante reunião entre a presidenta e o ministro da Defesa, Celso Amorim. Também foram assinadas as promoções de outros militares. Ainda não foi definida a data da cerimônia de apresentação dos promovidos à presidenta Dilma.

A Marinha foi a primeira força a autorizar o ingresso de mulheres, a partir de 1980, restrita ao já extinto Corpo Auxiliar Feminino da Reserva da Marinha, tendo perfil de carreira próprio e acesso limitado a determinados cargos e ao serviço em terra. Entre 1995 e 1996, foi estendido o acesso das oficiais aos corpos de saúde e de engenheiros navais. Em 1997, a participação das mulheres foi novamente estendida e hoje elas podem também participar de áreas como o corpo de intendentes e auxiliar da armada.

*Publicado originalmente em Agência Brasil.