Você está aqui: Página Inicial / Política / Dilma anuncia mais sete novos ministros

Política

Governo

Dilma anuncia mais sete novos ministros

por Redação — publicado 29/12/2014 19h59, última modificação 30/12/2014 00h49
Presidenta divulgou cinco nomes do PT, um do PP e outro do PR. Saiba quem foram os indicados
Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff anunciou nesta segunda-feira 29 mais sete nomes do seu ministério. São eles: Antonio Carlos Rodrigues (Transporte), Gilberto Occhi (Integração), Miguel Rossetto (Secretária Geral), Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), Pepe Vargas (Relações Institucionais), Ricardo Berzoini (Comunicações) e Carlos Gabas (Previdência).

Dos nomes anunciados, cinco são do PT. O atual ministro da Cidade, Gilberto Occhi, assumirá a Integração Nacional e foi indicado pelo PP. Já Antonio Carlos Rodrigues (PR), vereador em São Paulo, sera o novo ministro dos Transportes.

Todos os petistas já tiveram cargos como ministros nos governos de Dilma ou Lula. O atual ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini será remanejado para o Ministério das Comunicações. Em seu lugar assume o deputado Pepe Vargas, ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, e que terá agora a tarefa de conduzir a articulação política entre o Executivo e o Legislativo.

Miguel Rossetto, que está no comanda do Ministério do Desenvolvimento Agrário, assumirá a Secretaria-Geral da Presidência da República. A pasta é ocupada por Gilberto Carvalho, que após 12 anos no governo vai para a presidência do Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Patrus Ananias será o novo ministro do Desenvolvimento Agrário. Durante o governo Lula, ele foi ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Já o atual secretário executivo do Ministério da Previdência Social, Carlos Gabbas, assumirá no lugar de Garibaldi Alves (PMDB).

A todos os nomes que deixam o governo e aos que vão assumir, Dilma agradeceu a “dedicação”: Francisco Teixeira (Integração), Garibaldi Alves (Previdência Social), Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral), Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário), Paulo Bernardo (Comunicações), Paulo Sérgio Passos (Transportes), Ricardo Berzoini (Relações Institucionais).

Na última terça-feira 23 Dilma anunciou 13 nomes como o do petista Jacques Wagner no Ministério da Defesa, além de integrantes do PMDB e de legendas aliadas como PCdoB e o PSD. Comporão o governo no segundo mandato de Dilma, Aldo Rebelo (Ciência Tecnologia e Inovação), Cid Gomes (Educação), Eduardo Braga (Minas e Energia), Gilberto Kassab (Cidades) e Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Os futuros ministros da Fazenda, Joaquim Levy, do Planejamento, Nelson Barbosa, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, foram anunciados no final de novembro e vão substituir os ministros Guido Mantega, Miriam Belchior e Mauro Borges respectivamente. Alexandre Tombini permanecerá na presidência do Banco Central.

Do total de 39 ministros, o Planalto já anunciou 24 deles. Ainda restam 15 nomes. Os ministros devem assumer os cargos junto com a presidenta, no dia 1º de janeiro.