Você está aqui: Página Inicial / Política / Crítica de Plínio de Arruda ao JN interrompe gravação

Política

Eleições na TV

Crítica de Plínio de Arruda ao JN interrompe gravação

por Rede Brasil Atual — publicado 13/08/2010 12h45, última modificação 13/08/2010 15h18
Candidato do PSOL contestou o tempo cedido a ele, de 3 minutos, em comparação aos outros candidatos que tiveram 12

Candidato do PSOL contestou o tempo cedido a ele, de 3 minutos, em comparação aos outros candidatos que tiveram 12

O candidato do PSOL à Presidência, Plínio de Arruda Sampaio, protestou contra a diferença de tratamento dado pelo Jornal Nacional aos candidatos durante a gravação de sua entrevista. Em função do tom duro, a entrevista foi interrompida e chegou a ser reiniciada. A entrevista foi ao ar na íntegra.

Ao responder sobre o fato de seu partido defender a suspensão do pagamentos dos juros da dívida e as ocupações de terra, Plínio disse que responderia a questão, mas antes gostaria de fazer uma crítica ao tempo de três minutos que a Rede Globo lhe ofereceu, contra os 12 minutos concedidos a Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB).

As palavras do candidato foram: "Sou um viajante de avião de classe econômica. Sempre fui. Nunca reclamei. Mas agora eu preciso fazer uma reclamação na Globo. A Globo inventou para o debate presidencial a classe executiva, com os candidatos chapa branca."

A Central Globo de Comunicações rebateu acusações de que tratou os candidatos à Presidência de forma diferenciada em entrevistas realizadas pelo Jornal Nacional. Em nota, a emissora alega que as perguntas feitas aos diferentes presidenciáveis tiveram "o mesmo grau de dificuldade".

O apresentador William Bonner rebateu a acusação e disse que o critério adotado pela TV Globo foi de entrevistar, na bancada dos telejornais, com 12 minutos, os candidatos de partidos com representação na Câmara que obtiveram ao menos 3% das intenções de voto em pesquisas eleitorais. Bonner afirmou ainda que, caso Plínio alcance, em pesquisas futuras, a exigida quantidade de votos, ele será convidado a participar de entrevistas nas bancadas do Jornal da Globo e Bom dia Brasil.

No decorrer da entrevista, o candidato do PSOL também foi questionado sobre a defesa de um novo regime para o país. Ele respondeu que não pretende criar um caos no Brasil.

*Matéria originalmente publicada no site Rede Brasil Atual

registrado em: