Você está aqui: Página Inicial / Política / Cardozo rebate acusação de que governo ofertou cargos em troca de apoio

Política

Crise política

Cardozo rebate acusação de que governo ofertou cargos em troca de apoio

por Rodrigo Martins publicado 17/04/2016 17h39
Oposição apresentou denúncia sobre oferecimento de cargos a parlamentares e pediu medida cautelar de busca e apreensão de provas no hotel onde Lula está
Antonio Cruz/Agência Brasil
cardozo

Cardozo adiantou que irá denunciar os autores da queixa-crime por denunciação caluniosa

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, rebateu as acusações da oposição de que o governo ofereceu cargos e vantagens indevidas a deputados em troca de votos contra a abertura de processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

Em nota divulgada na madrugada deste domingo 17, o ministro enfatizou que "o governo tem toda legitimidade e amparo legal" para nomear cargos na administração federal e recompor a sua base no Parlamento. Cardozo adiantou que denunciará os autores da queixa-crime por "denunciação caluniosa", "quando restar comprovado que nada disso é corrupção".

São ao menos quatro pedidos de investigação. Um deles, apresentado como queixa-crime por líderes da oposição na Câmara, trata da suposta oferta de cargos e nomeações publicadas no Diário Oficial da União em troca de votos nos últimos dias.

Outras denúncias dizem respeito a doação de terras da União ao estado do Amapá; obstrução de rodovias federais pelo MST, que teria sido estimulada pelo Planalto; além de uma representação junto à Procuradoria da República no Distrito Federal, solicitando a abertura de inquérito policial e a decretação de medida cautelar de busca e apreensão de provas no hotel onde Lula está hospedado.

A oposição acusa o ex-presidente de oferecer cargos e vantagens indevidas a deputados em troca de votos contra a abertura do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

“Fizemos uma representação junto ao Ministério Público Federal do Distrito Federal por inúmeras denúncias, muitas delas publicadas pela imprensa nacional, de atitudes não republicanas promovidas e capitaneadas pelo ex-presidente Lula, que está instalado num hotel em Brasília. Por conta disso, além da instalação do inquérito, pedimos também a busca e apreensão para a coleta de provas”, diz o líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy.