Você está aqui: Página Inicial / Política / Brasil deve discutir futuro, não eleição, diz Eduardo Campos

Política

Diálogos Capitais

Brasil deve discutir futuro, não eleição, diz Eduardo Campos

por Redação Carta Capital — publicado 25/02/2013 12h24, última modificação 25/02/2013 12h29
O governador de Pernambuco criticou a desigualdade entre estados e defendeu revisão do pacto federativo no País

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, afirmou nesta segunda-feira 25 que é preciso parar de discutir o Brasil da próxima eleição para “discutir o Brasil da próxima década”.

A declaração do possível candidato do PSB à Presidência em 2014 foi feita durante o seminário “Nordeste – Como Enfrentar as Dores do Crescimento”, promovido por CartaCapital, em Recife.

Em sua fala, ele reconheceu os avanços promovidos nos últimos anos para a redução da desigualdade no País, mas criticou o que chamou de desigualdade regional entre os estados, um “freio ao crescimento”, segundo ele.

O governador defendeu que para haver saúde e educação de qualidade para todos, é preciso discutir o Pacto Federativo. “Ninguém aqui está atrás de favor. Queremos ajudar o país como aconteceu na crise de 2008 e 2009”, afirmou.

No evento, o governador apresentou uma série de indicadores econômicos do estado. “Multiplicamos por 4,2 a capacidade de investimento do Estado. Seguimos crescendo acima da média do Nordeste”.

E classificou a educação como um dos principais desafios para os próximos anos.  “Aumentamos em 1.200% o número de vagas no ensino técnico. Universalizamos a distribuição de tablets para o segundo e terceiro ano”, listou.

O desafio, segundo ele, é levar tecnologia para as escolas e garantir a atenção de adolescentes em uma era em que o aprendizado requer novos modelos de ensino. “O tempo de atenção hoje chega nas escolas é de cerca de 7 minutos”, lembrou.

Ao fim do evento, ele fez um apelo para que CartaCapital continue a promover debates como o realizado nesta segunda-feira e ajude a “quebra de preconceitos existentes entre os profissionais de imprensa do Brasil”.

O seminário teve início às 8h, no Mar Hotel Recife, e está em intervalo para o almoço. As palestras terão sequência a partir das 14h.