Você está aqui: Página Inicial / Política / Blairo Maggi fala em “reposicionamento político” do PR em relação ao governo

Política

Base aliada

Blairo Maggi fala em “reposicionamento político” do PR em relação ao governo

por Redação Carta Capital — publicado 07/07/2011 16h03, última modificação 07/07/2011 16h35
“Tem muita gente que ficou magoada com toda essa situação", afirmou o senador matogrossense

Por Marcos Chagas, da Agência Brasil*

O senador Blairo Maggi (PR-MT) disse hoje (7) que o momento exige do PR “um reposicionamento político” em relação ao governo. Defensor da permanência do PR na base, ele reconheceu que há internamente parlamentares a favor de uma postura mais independente em relação ao Executivo e, até mesmo, que cogitam abrir mão do Ministério dos Transportes como cota da legenda.

“Tem muita gente que ficou magoada com toda essa situação. A maioria democraticamente tem que decidir o que vai acontecer”, destacou Maggi. Ele acrescentou que internamente defenderá a manutenção da aliança com o governo. “O PR precisa fazer uma discussão madura do que quer do governo, do que pensa do governo, precisa se reposicionar politicamente”, completou.

Ele acrescentou que ainda hoje o partido reunirá seus líderes para discutir a questão. Na ocasião, também será criada uma comissão para tratar das indicações para o Ministério dos Transportes diretamente com o a presidenta Dilma Rousseff. “Depois de reunido esse grupo a gente vai tomar uma posição a respeito, inclusive, da permanência no governo ou na solicitação de ficar nesse cargo ou não.”

Blairo Maggi reconheceu o incômodo no partido causado pelas denúncias publicadas pela revista Veja na edição desta semana de um suposto superfaturamento em obras públicas executadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e cobranças de propinas. O que causou o afastamento de servidores e a demissão de Alfredo Nascimento, presidente do PR, do comando da pasta.

Articulador político para a designação, ainda no governo Luiz Inácio Lula da Silva, do nome de Luiz Antônio Pagot para a diretoria-geral do Dnit, o senador defendeu a permanência dele no cargo mesmo sendo um dos nomes citados pela revista.

“Solicitei à Casa Civil que nos 30 dias em que ele [Pagot] está de férias fizesse todas as investigações necessárias e que no final das investigações, se algo for comprovado contra o Luiz Antonio Pagot, eu serei o primeiro a pedir que ele seja afastado”, afirmou Maggi. Na terça-feira (12), Pagot deve comparecer à Comissão de Infraestrutura do Senado para prestar esclarecimentos. O requerimento foi apresentado pelo próprio Blairo Maggi.

*Publicado originalmente pela Agência Brasil

registrado em: