Você está aqui: Página Inicial / Política / Anúncio sobre energia foi propaganda petista, diz PSDB

Política

Política

Anúncio sobre energia foi propaganda petista, diz PSDB

por Redação Carta Capital — publicado 24/01/2013 14h55, última modificação 06/06/2015 18h41
Em nota, dirigente tucano diz que Dilma usou pronunciamento para fazer propaganda do governo e incentivar divisões no País

O presidente nacional do PSDB, Sergio Guerra, divulgou uma nota nesta quinta-feira 24 criticando o pronunciamento feito na véspera pela presidenta Dilma Rousseff sobre o programa de redução nas contas de luz. O anúncio foi feito em rede nacional de rádio e televisão (leia mais ).

A resposta tucana não demorou a surgir. Na nota, Guerra afirmou que a presidenta deveria se comportar como "chefe de todos os brasileiros" e não incentivar distinções entre “nós” e “eles”.

O texto diz que o pronunciamento foi uma "agressiva utilização do poder público, pois favorece uma candidatura e um partido político, já que se utiliza do espaço para fazer propaganda das ações do governo".

Leia abaixo a íntegra da nota:

O governo do PT acaba de ultrapassar um limite perigoso para a sobrevivência da jovem democracia brasileira.

Na noite desta quarta-feira, o país assistiu à mais agressiva utilização do poder público em favor de uma candidatura e de um partido político: o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff, em rede nacional de rádio e TV, sob o pretexto de anunciar, mais uma vez, a redução do valor das contas de luz, já prometida em rede nacional há quatro meses e alardeada em milionária campanha televisiva paga pelos contribuintes.

O caráter político-partidário do pronunciamento oficial da presidente pode ser constatado inclusive pela substituição do brasão da República pela marca publicitária do atual governo na vinheta de abertura da "peça publicitária" veiculada em cadeia nacional.

Durante os oito minutos de divulgação obrigatória por parte das emissoras de rádio e TV brasileiras, a presidente Dilma faltou com a verdade, fez ataques a seus adversários, criticou a imprensa e desqualificou os brasileiros que ousam discordar de seu governo.

O conceito de República foi abandonado. A chefe da Nação, que deveria ser a primeira a reconhecer-se como presidente de todos os brasileiros, agora os divide em dois grupos: o “nós” e o “eles”. O dos vencedores e o dos derrotados. Os do contra e os a favor. É como se estivesse fazendo um discurso numa reunião interna do PT, em meio ao agitar das bandeiras e ao som da charanga do partido.

O PSDB denuncia o uso indevido feito de um instrumento reservado ao interesse público para promoção pessoal e política da presidente, e alerta os brasileiros para a gravidade desse ato que fere frontalmente os fundamentos do Estado democrático.

No governo do PT, tudo é propaganda, tudo é partidarizado. Nada aponta para o equacionamento verdadeiro dos problemas do país ou para uma solução efetiva.

Em vez de assumir suas responsabilidades de gestora, fazendo o governo produzir, o que se vê é o lançamento prematuro de uma campanha à reeleição, às custas do uso da máquina federal e das prerrogativas do cargo presidencial.

Deputado Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB