Você está aqui: Página Inicial / Política / “Cristo bota fé nos jovens,” diz papa ao lado de Dilma

Política

Visita ao Brasil

“Cristo bota fé nos jovens,” diz papa ao lado de Dilma

por Redação — publicado 22/07/2013 19h12, última modificação 22/07/2013 22h13
No Palácio Guanabara, pontífice foi recebido pela presidenta, que fez discurso pedindo justiça social
Tomaz Silva / ABr
Dilma recebe papa Francisco

A presidenta Dilma Rousseff recebe o papa Francisco na Base Aérea do Galeão, para sua primeira visita ao Brasil

A presidenta Dilma Rousseff e o papa Francisco estiveram juntos no Palácio Guanabara, Rio de Janeiro, nesta segunda-feira 22. "Cristo bota fé nos jovens e confia-lhes o futuro de sua própria causa (...)Também os jovens 'botam fé' em Cristo. Eles não têm medo de arriscar a única vida que possuem porque sabem que não serão desiludidos,” disse o pontífice em discurso ao lado da presidenta, em frente a uma plateia formada por autoridades. “Aprendi que para ter acesso ao povo brasileiro é preciso ingressar pelo portal do seu imenso coração. Permitam-me que eu possa bater nessa porta, peço licença para entrar e transcorrer essa semana com vocês.”

Ao discursar antes do papa, Dilma referiu-se aos protestos que aconteceram no país no último mês. "Os jovens estão na luta legítima por uma nova sociedade. (...) Esse é um momento muito especial para a realização dessa Jornada Mundial da Juventude. Potencializa o que jovens tem de mais valoroso e contagiante," disse a presidenta, referindo-se também ao encontro católico que acontece nesta semana na capital carioca.

A presidenta Dilma Rousseff, em discurso de cunho social, disse que compartilha valores com o papa, como a a solidariedade, os direitos humanos e paz entre as nações. “Sabemos que temos diante de nós um líder religioso sensível aos anseios dos nossos povos por justiça social,” disse Dilma. Após os discursos, o papa cumprimentou autoridades e fez uma reunião fechada com a presidenta.

Enquanto eles discursavam, algumas manifestações ocorriam na proximidade. Os manifestantes estavam fora da área isolada pela segurança, e queimaram um boneco representando o governador Sérgio Cabral. Eles cantavam, no ritmo da marcha fúnebre, “queima Cabral, governador do capital.”

O papa chegou à sede do governo fluminense depois de desfilar de papamóvel pelas ruas do centro do Rio, onde milhares de pessoas o esperavam. Após o desfile, Francisco seguiu para o 3º Comando Aéreo, onde embarcou em um helicóptero até o campo do Fluminense, que fica ao lado do Palácio Guanabara.

Por medida de segurança, foi aberta uma passagem lateral do clube para o palácio. Na sede do governo, o papa foi recebido pelo governador Sérgio Cabral e pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, antes de encontrar a presidenta.