Você está aqui: Página Inicial / Mais Admiradas / Empresários pedem mais investimento do governo

Mais Admiradas

Mais Admiradas 2013

Empresários pedem mais investimento do governo

por Redação — publicado 30/10/2013 09h19, última modificação 30/10/2013 16h02
Presidentes da Natura, da Porto Seguros, da TAM e da AES Eletropaulo cobram desburocratização, reforma política, mais infraestrutura e verbas para educação
André Luy
Fabio Luchetti

O presidente da Porto Seguro, Fabio Luchetti, ao lado de Tanyze Marconato, da Tuagência Comunicação

"No geral o país está muito travado, burocraticamente falando. Tudo é muito lento, muito difícil de articular. Demoro oito meses pra abrir um escritório novo, ou um ano para aprovar um projeto de construção. É como se governo federal, estados e municípios não acompanhassem a velocidade e o ritmo de crescimento dos negócios, e isso é muito crítico". A opinião de Fabio Luchetti, presidente da Porto Seguros, de certa forma resume um sentimento de parte do empresariado presente na cerimônia de premiação das empresas Mais Admiradas do Brasil, promovida por CartaCapital na noite de segunda-feira 28.

O executivo da empresa Mais Admirada no setor de seguros também apontou a educação como um dos problemas. "Está muito difícil de manter um bom padrão de serviço, o déficit de mão de obra mais qualificada é muito grande, tem que investir muito educação."

Alessandro Carlucci, presidente da Natura, eleita a empresa Mais Admirada em 2013, concorda e adiciona outros pontos: “precisamos de uma reforma tributária importante, que reduza a carga e também a complexidade. Uma reforma política também é necessária, para que o sistema político possa significar o que a sociedade espera. Precisamos ainda de um investimento transcendental em educação e também um caminho mais claro na infraestrutura".

Carlucci, que esteve na premiação acompanhado dos fundadores da Natura -- Guilherme Leal e Antônio Luiz Seabra -- complementou: "claro que ano que vem não vai acontecer tudo isso, teremos Copa, eleições... 2014 pode ser um tiquinho melhor, mas deve ser mais ou menos no mesmo tom de 2013. Mas quem sabe possamos estar construindo o começo de uma reforma para os próximos 10 anos. Até porque, se essas reformas não forem feitas, o Brasil não muda de ciclo."

Claudia Sender, presidente da TAM, eleita a Mais Admirada no setor de aviação, reforçou a necessidade de mais investimentos em aeroportos, "para que o setor possa continuar crescendo" -- leia AQUI sobre as previsões da companhia aérea para a Copa do Mundo.

Na opinião de Britaldo Soares, presidente da AES Eletropaulo, "para alavancar um crescimento mais sustentável e significativo em 2014 precisamos de maior promoção de investimento [por parte do governo]. No setor elétrico temos algumas oportunidades, mas tem que se rever o nível de retorno, a atratividade dos investimentos. Não basta só pensar num nível de custo de energia baixa. Precisa pensar num nível de custo adequado para promover o investimento que o Brasil precisa.”