Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Testes apontam vestígios de césio em crianças de Fukushima

Internacional

Energia nuclear

Testes apontam vestígios de césio em crianças de Fukushima

por Redação Carta Capital — publicado 30/06/2011 16h30, última modificação 30/06/2011 22h14
Todos os dez participantes de um estudo clínico apresentaram a substância na urina, além outras 15 pessoas que vivem nas proximidades da usina

Um teste realizado em maio por uma organização japonesa e a instituição francesa Acro, que mensura radioatividade, encontrou vestígios de substâncias radioativas na urina de crianças na cidade de Fukushima. A pesquisa, conduzida com pessoas entre seis e 16 anos de idade, verificou a presença de pequenas quantidades de césio 134 e 137 nos participantes.

O presidente da Acro, David Boilley, declarou ao jornal britânico The Guardian, que há indícios de exposição interna à radiação nas crianças vivendo em Fukushima e nas proximidades da usina. A planta nuclear, que entrou em colapso em março e ainda não teve sua situação controlada, fica a 60 quilômetros de distância.

Resultados

Os níveis estão abaixo do limite tolerado pelo corpo humano, que é de 20 milisieverts por ano. Porém, especialistas se mostram preocupados com a presença da substância, que tem meia-vida de 30 anos. Há ainda a recomendação para o consumo de alimentos sem nenhum nível de contaminação, mesmo que aceitáveis.

Outros testes apontaram que o césio radioativo foi encontrado na urina de 15 moradores de duas cidades próximas da usina.

Em setembro crianças de Fukushima vão receber medidores para mensurar sua exposição à radiação, uma vez que possuem mais riscos de desenvolver diversos tipos de câncer. Além disso, as autoridades de saúde da cidade iniciaram o monitoramento de seus dois milhões de habitantes para verificação da radiação interna, em um projeto de 30 anos que deve custar 1,9 bilhão de reais.

registrado em: