Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Sérvia prende o último fugitivo

Internacional

Guerra dos Balcãs

Sérvia prende o último fugitivo

por Redação Carta Capital — publicado 20/07/2011 10h23, última modificação 20/07/2011 16h25
Acusado de crimes de guerra nos conflitos dos Bálcãs, Goran Hadzic, foi capturado a cerca de 40 quilômetros de Belgrado, após oito anos em fuga
Prisão

Acusado de crimes de guerra nos conflitos dos Bálcãs, Goran Hadzic, foi capturado a cerca de 40 quilômetros de Belgrado, após oito anos em fuga. Foto: AFP

Após oito anos em fuga, o governo sérvio conseguiu prender o último fugitivo por crimes de guerra dos conflitos da antiga Iugoslávia. Na quarta-feira 20, Goran Hadzic, de 52 anos, foi capturado na região do parque nacional de Fruska Gora, cerca de 40 quilômetros ao Norte de Belgrado. O anuncio oficial deve acontecer em uma coletiva de imprensa convocada pelo presidente da Sérvia, Boris Tadic.

Há cerca de dois meses, a Sérvia prendeu o ex-comandante do exército sérvio-bósnio no massacre de oito mil muçulmanos em Srebrenica, Ratko Mladic. Ele já está sendo julgado pelo Tribunal de Crimes de Guerra de Haia.

Hadzic liderou o enclave étnico sérvio de Krajina na Croácia do colapso da Iugoslávia e o início da Guerra dos Bálcãs em 1991 até que retomada da região pelas forças croatas em 1995.

Em 2004, ele foi acusado em Haia por liderar a limpeza étnica de Krajina, expulsando croatas e não sérvios. A acusação incluía crimes de guerra e contra a humanidade, como perseguição política, racial e religiosa, extermínio, assassinato, tortura, entre outros.

Cerca de dez mil pessoas morreram nos conflitos na Croácia, mais 100 mil foram mortos na Bósnia e outros dez mil em Kosovo.

A captura de Hadzic põe fim à caçada por criminosos de guerra nos conflitos dos Bálcãs. Dos 161 suspeitos desses crimes indiciados, 131 foram capturados ou se entregaram, sendo que dos 30 restantes, 20 tiveram as acusações retiradas e dez morreram antes de serem pegos.

As duas prisões realizadas pela Sérvia aproximam o país de ter seu pedido de entrada na União Européia, em negociação desde 2006, aceito.

registrado em: