Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Raúl Castro é reeleito em Cuba e diz que este será o último mandato

Internacional

Cuba

Raúl Castro é reeleito em Cuba e diz que este será o último mandato

por Deutsche Welle publicado 25/02/2013 10h21, última modificação 25/02/2013 10h21
Irmão de Fidel Castro é confirmado no cargo pela Assembleia Nacional, que também aprova como o número dois do regime comunista o jovem engenheiro Miguel Díaz-Canel, candidato à sucessão em 2018

A Assembleia Nacional de Cuba confirmou neste domingo 24 a reeleição do general Raúl Castro, de 81 anos, para um segundo mandato de cinco anos como presidente do país, como era esperado. Ao mesmo tempo, o general anunciou que este será seu último mandato, com o que fixou a data para o fim da era Castro no comando da ilha comunista.

Além disso, Castro nomeou o engenheiro eletrônico Miguel Díaz-Canel, de 52 anos, para o cargo de primeiro vice-presidente do Conselho de Estado e de Ministros, tornando-o assim o segundo nome do regime, atrás apenas do próprio Castro, e forte candidato à sucessão em 2018. A escolha foi ratificada pela Assembleia.

Castro elogiou a ascensão política do novo número dois do regime, afirmando tratar-se de uma medida de transcendência histórica que assegura a continuidade. "Sentimos serena confiança ao entregar às novas gerações a possibilidade de seguir construindo o socialismo", destacou, referindo-se também a vários outros dirigentes jovens do novo gabinete de governo.

A sessão deste domingo da Assembleia Nacional foi marcada ainda pela presença do líder revolucionário Fidel Castro, de 86 anos, que não aparecia no Parlamento desde agosto de 2010. O ex-presidente é deputado depois de ter sido eleito pelo círculo de Santiago de Cuba nas eleições de 3 de fevereiro último.

Raúl Castro assumiu o poder interinamente em 2006, quando Fidel Castro passou ao irmão as funções do governo devido ao seu estado de saúde. O governo de Raúl Castro centrou-se em impulsionar um plano de reformas para "atualizar" o socialismo cubano e reanimar uma economia em crise desde a queda do bloco soviético.

registrado em: ,