Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Putin lamenta morte de um homem fora do comum e Ahmadinejad fala em 'doença suspeita'

Internacional

Morte de Hugo Chávez

Putin lamenta morte de um homem fora do comum e Ahmadinejad fala em 'doença suspeita'

por AFP — publicado 06/03/2013 11h09, última modificação 06/03/2013 11h11
Os maiores parceiros comerciais da Venezuela na Europa e no Oriente Médio, Rússia e Irã, respectivamente, prestaram homenagem e enviaram condolências ao falecido presidente Hugo Chávez

MOSCOU (AFP) - O presidente russo Vladimir Putin afirmou nesta quarta-feira 6. em um telegrama de condolências, que o falecido presidente venezuelano Hugo Chávez era um "homem fora do comum, que olhava para o futuro".

Putin destacou que Chávez foi um "amigo próximo da Rússia", que permitiu estabelecer as "bases sólidas para uma associação Rússia-Venezuela, estabelecer contatos políticos ativos e lançar grandes projetos humanitários e econômicos" entre os dois países.

Coincidentemente, a morte de Chávez aconteceu no mesmo dia em que a Rússia recordava o 60º aniversário da morte do líder soviético Josef Stalin.

Irã
TEERÃ(AFP) - Já o presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, disse que Chávez faleceu de "uma doença suspeita" e a quem saudou como "um mártir por ter servido seu povo e protegido os valores humanos e revolucionários".

Morreu de uma "doença suspeita e deu sua vida vida (...) pela ascensão de seu país e a liberdade de seu povo", escreveu o presidente iraniano em uma carta de condolências publicada no site da presidência iraniana.

"A Venezuela perdeu um filho forte e corajoso, e o mundo perdeu um líder revolucionário e sábio", completou Ahmadinejad."Não tenho dúvidas de que voltará, junto com o virtuoso Jesus e o Homem perfeito".

A última menção era uma referência à crença xiita de que o 12º imã, o "Mahdi", desaparecido no século VII, voltará ao mundo junto com Jesus Cristo para salvar o mundo e trazer a paz.

A Venezuela é o principal aliado do Irã na América Latina. Os dois países desenvolveram estreitas relações econômicas e políticas nos últimos anos.