Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Políticas de austeridade penalizam as crianças, afirma Unicef

Internacional

União Europeia

Políticas de austeridade penalizam as crianças, afirma Unicef

por AFP — publicado 10/04/2013 10h45, última modificação 10/04/2013 10h45
Governos querem resolver a questão da dívida para não deixar esta carga às gerações futuras, mas se esquecem que os cortes afetam o desenvolvimento das crianças de forma direta, diz um diretor da Unicef
crianças

Primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, rodeado por crianças em Haia, em 1 de outubro de 2012. Foto: ©afp.com / Evert-Jan Daniels

GENEBRA (AFP) - Um estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) afirma que as políticas de austeridade nos países ricos penalizam as crianças. A publicação faz parte de um relatório anual sobre a situação das crianças nas economias avançadas.

"Muitos governos afirmam que precisam resolver a questão da dívida para não deixar esta carga às gerações futuras", recordou Chris de Neubourg, diretor do centro de pesquisa política e social do Unicef. Mas os cortes afetam a educação e as famílias mais modestas, de maneira que "apresentamos agora a conta às crianças".

O relatório analisa as mudanças entre 2000 e 2010 nas condições de vida das crianças de 29 países, levando em consideração critérios como êxito escolar, taxa de natalidade entre adolescentes, nível de obesidade infantil, frequência de atos de assédio ou consumo de cigarro e álcool.

Holanda, Noruega, Islândia, Finlândia e Suécia ocupam os primeiros lugares na lista. A França aparece na 13ª posição, Estados Unidos na 26ª e a Romênia fecha a lista, na posição 29.

Neubourg disse que as taxas de pobreza das crianças aumentaram em vários países. "Mar reduzir reduzir os investimentos nesta geração cria o risco de que paguem as consequências agora e no futuro", disse o diretor do UNICEF.

Ele citou o exemplo da Grã-Bretanha, número 21 em um estudo similar de 2007 e que hoje está na posição 16, depois de ter trabalhado muito para melhorar as condições de vida das crianças do país.

Nos Estados Unidos, uma criança em cada quatro vive em uma família com renda inferior à média. Na União Europeia a proporção é de uma em cada 10 crianças. Apesar dos Estados Unidos terem excelentes sistemas educativos e de saúde, "não são acessíveis a todos", destaca o Unicef, que pede mais esforços para a proteção das crianças.

Leia mais em AFP Movel.