Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Polícia mata suspeito de armar bomba em Boston

Internacional

Estados Unidos

Polícia mata suspeito de armar bomba em Boston

por AFP — publicado 19/04/2013 09h16, última modificação 19/04/2013 09h16
Outro suspeito está foragido após trocar tiros e matar um policial dentro de universidade

A polícia de Boston matou na madrugada desta sexta-feira 19 um dos supostos responsáveis pelo atentado na maratona da cidade. Outro suspeito, "armado e perigoso", ainda está foragido.

"Um suspeito morreu. O outro continua foragido", afirmou o chefe de polícia de Boston, Ed Davis, ao anunciar o balanço provisório da operação iniciada na noite de quinta-feira no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nas proximidades de Boston, e que prosseguia nesta sexta-feira na cidade vizinha de Watertown.

Um policial morreu e outro ficou ferido na operação para capturar os suspeitos das explosões que deixaram três mortos e mais de 180 feridos na segunda-feira passada, no fim da maratona de Boston.

O suspeito havia sido capturado em Watertown, na região de Boston, durante a caçada ao assassino de um policial no campus do MIT, segundo o jornal Boston Globe.

As forças especiais da polícia cercaram Watertown e as autoridades emitiram um alerta para que a população "permaneça em casa e longe das janelas" enquanto prossegue a caçada ao segundo suspeito.

O policial foi morto após sofrer "múltiplos ferimentos a bala" quando enfrentava uma situação, revelou Michel Pelgro, promotor do distrito de Middlesex. "Ele foi levado a um hospital, onde faleceu".

O chefe de polícia definiu o suspeito em fuga como "armado e perigoso" e o definiu como um "terrorista que pretende matar pessoas". As autoridades temem que ele transporte explosivos.

As autoridades ordenaram nesta sexta-feira a paralisação de todos os meios de transporte públicos na região de Boston e determinaram que os habitantes permaneçam em suas casas.

Os moradores da zona oeste de Boston e de seis cidades vizinhas receberam a ordem de permanecer em suas casas. Todos os serviços de trens e ônibus da cidade foram paralisados por ordem do governador Deval Patrick.

Milhares de policiais fortemente armados participam nas buscas, de casa em casa, em Watertown. Os moradores da localidade que não deixaram a região receberam a determinação de permanecer trancados em suas casas.

Mais de 9.000 policiais procuravam de forma minuciosa o denominado "suspeito número dois", um dos dois jovens apontados como suspeito dos atentados com bombas de Boston.

A busca se concentrava em um perímetro de 3,8 quilômetros dentro de Watertown, uma localidade de 35.000 habitantes.

O suspeito morto chegou a ser encaminhado a um hospital da região, segundo Davis, depois de ter recebido vários tiros e ter ficado ferido em uma explosão.

O MIT enviou uma mensagem aos estudantes alertando para uma situação "extremamente perigosa" e pediu que permaneçam dentro das residências na região do campus. Horas depois, os alunos foram liberados de seus apartamentos.

O site do MIT revelou que o tiroteio começou às 22H48 (23H48 Brasília) e que um prédio do campus foi cercado por policiais.

Segundo testemunhas, após o primeiro tiroteio ocorreram disparos e explosões na região em torno do MIT, onde um grande dispositivo policial, com agentes fortemente armados, vasculhava as ruas.

O FBI havia divulgado na quinta-feira fotografias e vídeos dos dois homens, depois de analisar milhares de imagens registradas na área do atentado.

"A divisão de Boston do FBI está a par da operação das forças de segurança na região de Boston. A situação continua. Trabalhamos com as autoridades locais para determinar o que aconteceu", afirma um comunicado da agência federal.

Os indivíduos haviam sido denominados "Suspeito Um" e "Suspeito Dois", mas as identidades não foram divulgadas. Eles apareciam nas imagens com bonés e usavam mochilas.

Segundo o FBI, o suspeito de boné branco deixou a mochila no local da segunda explosão alguns minutos antes da explosão perto da linha de chegada da maratona.

Depois da divulgação das fotos, as autoridades intensificaram os controles na fronteira com o Canadá. O efeito provocado pelas imagens foi tão grande que, minutos depois da publicação no site do FBI, o portal entrou em colapso.

Horas antes, o presidente Barack Obama havia prometido encontrar os autores do atentado, ao participar em uma cerimônia ecumênica na catedral de Santa Cruz de Boston.

De acordo com a investigação do FBI, os autores do atentado utilizaram bombas de fabricação caseira, dentro de panelas de pressão com pregos e pedaços de ferro, o que deixou muitos amputados, além dos três mortos.

Mais de 100 dos 183 hospitalizados já receberam alta. No entanto, mais de 10 pessoas permanecem em estado crítico e precisarão passar por novas cirurgias.

 

Leia mais em AFP Movel.