Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Polícia australiana disparou 14 vezes com arma de choque contra brasileiro

Internacional

Brasileiro morto na Austrália

Polícia australiana disparou 14 vezes com arma de choque contra brasileiro

por AFP — publicado 08/10/2012 10h19, última modificação 06/06/2015 18h26
A investigação sobre a morte de Roberto Laudísio Curti mostra que a polícia também utilizou spray de pimenta e cassetetes contra o brasileiro
arma de choque

Modelo de arma taser. Foto: ©AFP/Getty Images / Ethan Miller

SYDNEY (AFP) - Uma investigação sobre a morte do estudante brasileiro Roberto Laudísio Curti, detido pela polícia australiana em Sydney em março, revelou que os agentes dispararam pelo menos 14 vezes as pistolas paralisantes Taser contra o jovem antes da morte da vítima.

De acordo com os investigadores, Roberto, de 21 anos, havia tomado LSD com dois amigos horas antes do incidente e o tribunal foi informado de que ele atuava de maneira errática antes da perseguição policial. "Foram aplicadas um total de 14 descargas contra Roberto", disse Jeremy Gormly, o advogado que investigou o caso, segundo o qual muitos disparos não atingiram o estudante.

A polícia perseguiu Curti depois que o jovem, que estava desarmado, supostamente tinha roubado dois pacotes de biscoito em um mercado. O brasileiro resistiu à ação dos policiais, alegaram os agentes.

O tribunal foi informado que a polícia utilizou spray de pimenta, cassetetes e outro tipo de força antes de recorrer às pistolas Taser, que utilizam uma descarga elétrica para incapacitar a pessoa.

À medida que mais agentes entraram na perseguição, conseguiram derrubar Curti no chão. Pouco depois, observaram que o brasileiro não respirava. Após o incidente, a polícia defendeu o uso das pistolas Taser, mas a morte do jovem brasileiro provocou uma convocação do cônsul do Brasil em Sydney para receber uma explicação.

Leia mais em AFP Móvil

registrado em: ,