Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Pesquisas apontam números desanimadores para Obama

Internacional

Estads Unidos

Pesquisas apontam números desanimadores para Obama

por AFP — publicado 19/07/2012 18h55, última modificação 19/07/2012 18h55
A popularidade do presidente caiu, enquanto o pessimismo dos americanos com a economia não para de crescer
Obama

O presidente americano faz campanha em Jacksonville, na Flórida, em 19 de julho de 2012. Foto: AFP

O presidente americano e candidato à reeleição, Barack Obama, recebeu um duro golpe com os preocupantes resultados de várias pesquisas de intenção de voto divulgadas nesta quinta-feira, no mesmo dia em que inicia uma viagem de dois dias pela Flórida (sudeste), estado fundamental na disputa pela Casa Branca.

A menos de quatro meses das eleições, que serão realizadas em 6 de novembro, a popularidade de Obama caiu, enquanto o pessimismo dos americanos em relação à situação econômica do país não para de crescer e seu adversário republicano, Mitt Romney, chegou ao empate com o democrata na Virgínia (leste), outro estado crucial.

Uma pesquisa da CBS/The New York Times dá a Romney, ex-governador de Massachusetts (nordeste), 47% dos votos, um ponto à frente de Obama.

A queda da popularidade do presidente, que foi de 42% em abril para 36% em julho, se deve, principalmente, aos 55% da população que desaprovam a gestão econômica de Obama.

Além disso, as taxas relacionadas à criação de empregos em maio e junho também alimentaram o pessimismo dos americanos: apenas 24% acreditam que a situação econômica irá melhorar (33% em abril), segundo a CBS/NYT.

As pesquisas nacionais dão uma visão incompleta sobre os rumos da campanha. Os americanos designarão 538 grandes eleitores proporcionalmente divididos em relação à população dos 50 estados do país. Para ser eleito, o candidato deve somar ao menos 270 grandes eleitores.

O sistema eleitoral americano dá ao vencedor de um estado o conjunto de delegados desse estado, o que faz de alguns deles pontos-chave na corrida presidencial.

De acordo com outra boca de urna divulgada nesta quinta-feira pela Universidade de Quinnipiac (Virgínia, leste), Romney recuperou a vantagem que Obama tinha nesse estado, que o presidente ganhou em 2008 --feito inédito para um democrata.

A pesquisa aponta ainda que ambos os candidatos têm 44% das intenções de voto na Virgínia. Em março, Obama seguia oito pontos à frente e em junho, cinco pontos.

A Universidade de Quinnipiac realizou a pesquisa entre 10 e 16 de julho, exatamente quando Obama fazia uma viagem de dois dias pela Virgínia. É esperado que sua esposa, Michelle, vá até o estado na sexta-feira para mobilizar o eleitorado.

Na quinta e na sexta-feira, Obama visita a Flórida para ganhar a confiança de seus 29 grandes eleitores, que foram decisivos nas disputadas eleições de 2000 entre George W. Bush e Al Gore.

O presidente chegou na tarde desta quinta-feira a Jacksonville, uma região tradicionalmente republicana, onde participará de dois eventos para angariar fundos.

Obama venceu na Flórida em 2008 com uma vantagem de 2,5 pontos sobre o republicano John McCain. No entanto, as pesquisas deste ano preveem um empate entre os candidatos: 45,4% para os democratas, e 45% para os republicanos, segundo o site RealClearPolitics.

 

Leia mais em AFP Movel.

registrado em: