Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Partidos pró-austeridade não conseguem maioria

Internacional

Legislativas na Grécia

Partidos pró-austeridade não conseguem maioria

por AFP — publicado 07/05/2012 09h46, última modificação 06/06/2015 18h59
Se Samaras,do ND, não formar governo em três dias, tarefa recairá no grupo de esquerda radical Syriza
grecia_eleicoes

Chefe do partido grego Syrisa, Alexis Tsipras (c), comemora resultado de eleições no centro de Atenas ©AFP / Louisa Gouliamaki

ATENAS (AFP) - Os dois partidos gregos pró-europeus e favoráveis à austeridade, a Nova Democracia (ND, direita) e o Pasok (socialista), conquistaram 149 assentos sobre um total de 300 do Parlamento nas eleições legislativas de domingo, segundo dados publicados nesta segunda-feira pelo ministério do Interior.

Com 99% dos votos apurados, o Nova Democracia teria obtido 18,8% dos votos, ou seja, 108 assentos, e o Pasok 13,2%, 41 parlamentares.

Este resultado não lhes permite formar um governo de coalizão sozinhos. Os dois partidos, protagonistas do bipartidarismo grego há 38 anos, são considerados responsáveis pela crise econômica atravessada pelo país, o que explica seu resultado ruim.

Cinco partidos que se opõem à austeridade conseguiram superar os 3% dos votos e entrarão no Parlamento, incluindo um grupo neonazista.

No total, estes partidos terão 151 assentos, ou seja, a maioria absoluta.

A publicação dos resultados definitivos será realizada nesta segunda-feira, quando o chefe de Estado, Carolos Papulias, pedirá a Antonis Samaras, dirigente da Nova Democracia, que forme um governo que goze da confiança do Parlamento, como indica a Constituição.

Se Samaras não conseguir constituir um governo em três dias, a tarefa recairá no segundo partido mais votado, o grupo de esquerda radical Syriza, que foi a grande surpresa destas eleições ao levar 16,5% dos votos, que representam 52 assentos.

registrado em: