Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Papandreou recebe voto de confiança

Internacional

Grécia

Papandreou recebe voto de confiança

por AFP — publicado 05/11/2011 08h43, última modificação 05/11/2011 13h58
Após votação apertada no Parlamento, primeiro-ministro ganha sobrevida no cargo e país se aproxima da ratificação do plano de resgate
grecia

A votação foi solicitada na segunda-feira passada, por Papandreou, após anunciar um projeto de referendo sobre o plano. Foto: Louisa Gouliamaki

ATENAS, Grécia (AFP) - O Parlamento grego deu um voto de confiança ao primeiro-ministro George Papandreou, em uma decisão crucial para a ratificação do acordo europeu de auxílio à Grécia e para a formação de um governo de coalizão.

"Neste sábado visitarei o presidente da República para chegar a um acordo sobre a composição do governo de coalizão e saber quem via dirigi-lo", disse Papandreou aos parlamentares.

O voto de confiança foi aprovado por 153 parlamentares e rejeitado por 145, revelou o presidente da sessão.

A votação foi solicitada na segunda-feira passada, por Papandreou, após anunciar um projeto de referendo sobre o plano de ajuda europeu, abandonado três dias depois em meio ao pânico dos mercados.

No debate parlamentar que antecedeu a votação, Papandreou defendeu a formação de um governo de coalizão "mais amplo" para garantir que se implemente o acordo europeu de ajuda à Grécia.

"O voto de confiança é um mandato para criar um acordo político mais amplo para apoiar o acordo europeu. É necessário um apoio mais amplo e honesto", completou, afirmando que o plano de ajuda europeu decidido em Bruxelas em 27 de outubro e que exige novos sacrifícios por parte dos gregos "é determinante para o futuro do país" e "talvez a última chance" para evitar a quebra.

A decisão do Parlamento grego foi a segunda boa notícia desta sexta-feira para a zona do euro, após o ministro grego das Finanças, Evangelos Venizelos, confirmar que a Grécia abandonou definitivamente seu projeto de convocar um referendo sobre o pacote de ajuda ao país.

Os parceiros da Europa viam no referendo uma ameaça à permanência da Grécia na zona do euro e à estabilidade da moeda comum.

"Não estou amarrado a nenhum assento (...), o que me interessa é salvar a pátria", disse Papandreou antes do voto de confiança no Parlamento.

Pela manhã, o ministro Venizelos informou ao comissário europeu de Assuntos Econômicos e Monetários, Olli Rehn, ao ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, e ao chefe do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, "a decisão da Grécia de não realizar um referendo".

Venizelos também disse aos seus colegas da UE que o voto de confiança visava a "obter o maior consenso possível... com a formação de um governo neste sentido".

Veja mais notícias em AFP Mobile.

registrado em: ,