Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Oposição síria concorda em negociar paz com Assad

Internacional

Oriente Médio

Oposição síria concorda em negociar paz com Assad

por Deutsche Welle publicado 19/01/2014 10h43
Após votação interna, Coalizão Nacional Síria confirma presença em conferência pela paz na próxima semana, na Suíça. Encontro é considerado maior esforço internacional para acabar com os confrontos na Síria

O principal grupo de oposição síria, a Coalizão Nacional Síria, anunciou neste sábado 18 que irá comparecer à conferência sobre a paz na Síria que ocorrerá na próxima quarta-feira 22, na Suíça. A participação do grupo foi aprovada por votação ao final do segundo dia de reuniões de opositores ao governo sírio na Turquia.

Ao todo, 58 delegados votaram a favor da participação na convenção, 14 votaram contra e um não votou. A conferência chamada de Genebra 2 está marcada para a quarta-feira na cidade suíça de Montreux e contará com a presença de representantes do presidente sírio, Bashar al-Assad.

"Esta foi uma decisão difícil para todos os membros da coalizão, porque é difícil sentar com os assassinos do povo sírio", afirmou Khaled al-Saled, porta-voz do grupo de oposição. "Já falamos isso antes e agora repetimos, o objetivo de qualquer solução política precisa ser a instalação de um governo de transição do qual Assad não faça parte", determinou Saled.

Esta será a primeira vez que governo e oposição síria, sob supervisão de mediadores internacionais, vão se sentar à mesa de negociações desde o início do conflito armado do país, em março 2011. Mais de 130 mil pessoas já morreram nos confrontos.

Trabalho de bastidores

Diplomatas turcos e de países ocidentais atuaram nos bastidores junto a integrantes da oposição e rebeldes islamistas a fim de convencê-los a participar da conferência pela paz. Na última sexta-feira, o ministro sírio do Exterior, Walid Moallem, afirmou que seu governo está pronto para negociar um acordo de cessar-fogo com as forças da oposição no norte de Aleppo. E também pronto para estabelecer a troca de prisioneiros dos dois lados.

Baseada na Turquia, a Coalizão Nacional Síria tem pouca influência em território sírio, onde muitos rebeldes se opõem com veemência a qualquer participação em negociações com o governo. O braço armado da coalizão, o Conselho Supremo Militar, tem sido ofuscado por islamistas rebeldes e combatentes do Al Qaeda.

MSB/dpa/afp
Edição Soraia Vilela

registrado em: ,