Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Obama reúne multidão e mostra força em estado-chave

Internacional

Eleição nos EUA

Obama reúne multidão e mostra força em estado-chave

por Redação Carta Capital — publicado 23/10/2012 16h04, última modificação 23/10/2012 16h21
O presidente dos EUA reuniu 11 mil pessoas em ato na Flórida, onde hoje Mitt Romney é favorito
Obama na Flórida

Obama durante comício em Delray Beach, na Flórida. JOE RAEDLE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Eduardo Graça, de Delray Beach (Flórida)

 

Quem disse que a Flórida já está perdida para os republicanos? Este foi o tom do desafio oferecido pela multidão de todas as cores, idades e classes sociais que compareceu ao primeiro comício de Barack Obama depois do derradeiro debate com Mitt Romney, na costa atlântica do estado sulista disputado voto a voto por democratas e republicanos. De acordo com a polícia, 11 mil pessoas ocuparam as arquibancadas e o gramado do Delray Tennis Center, a cinco quadras da praia. Pelo menos uma centena ficou do lado de fora, celebrando do mesmo jeito no que parecia ser um carnaval fora de hora em celebração ao bom desempenho do presidente no confronto de ontem com Romney, centrado em política externa, e em garantia de que a batalha pelo ‘estado do sol’ está longe de ser decidida.

“Ainda dá para ganhar aqui e garantir a presidência por mais quatro anos”, disse Bill Vallier, 62 anos, dirigindo o o carro alegórico da folia eleitoral, com um cachorro de pelúcia na posição de destaque, remetendo ao notório episódio em que Romney viajou para o gélido Canadá e esqueceu o cachorro da família amarrado no teto do carro. Na saída do comício, um grupo de cinco militantes republicanos foi cercado pelos milhares de obamistas que gritavam alternadamente, animadíssimos: “Mais quatro anos!” e “Romney é uma mala!”. O confronto democrático não ultrapassou o limite dos gritos, com os republicanos reagindo com gritos de “Mitt! Mitt! Mitt!” e todos deixando a avenida Atlantic de forma pacífica.

Um dos mais animados com a possibilidade de ver o presidente era o veterano da Guerra do Vietnã Frank Nieto, 65 anos, um ex-republicano que virou a casaca e promete jamais voltar para o flanco conservador.

“O Partido Republicano acabou, foi tomado pela extrema-direita. No debate de ontem o presidente deu uma lição de conhecimento sobre nossas Forças Armadas. Romney ainda está contando quantos navios temos, vive no século passado. Meu filho é fuzileiro naval, foi duas vezes ao Afeganistão, e quero na Casa Branca um comandante-em-chefe que saiba do que está falando. Também não acho justo os republicanos quererem acabar com o Medicare, o serviço público de Saúde para os idosos. Ele sequer falou dos veteranos no primeiro debate, não está preparado para ser presidente”, disse.

Nieto mora em um bairro próximo, de classe média.

O comício foi feito em uma região de forte imigração caribenha, de classe média baixa, com grande população negra e muitas casas abandonadas na vizinhança por conta da crise da bolha imobiliária.

A enfermeira Benite Desjardins, 50 anos, imigrante haitiana naturalizada, contava que sua decisão de votar em Obama é eminentemente racional.

“No Haiti, quando tive a oportunidade de exercer meus direitos de cidadã, votei a partir dos valores defendidos pelos candidatos. Não é diferente aqui. Obama é o candidato que mais defende os direitos adquiridos das mulheres e dos idosos. Estou bem empregada, obrigado, mas penso na parcela dos meus clientes, senhores e senhoras, bons cidadãos americanos como eu, que não terão como pagar por meus serviços se os republicanos tomarem o poder e atacarem o Medicare. Não podemos correr este risco!”, disse, antes de atravessar a rua em direção ao estádio improvisado com primos, sobrinhos e amigos, todos haitianos naturalizados e fãs de Obama.

No palco, o presidente disse que, ao contrário de Romney, tem orugulho de detalhar seu plano econômico para seguir criando postos de emprego e desafogar a classe média. “Em meu plano, ao contrário do dele, a matemática faz sentido! Conte para seus amigos e vizinhos e colegas de trabalho. E quem está indeciso, quem chegou aqui achando que era um show de rock ou que estávamos dando pizza de graça, por favor comparem os dois planos e pensem em seu futuro”, pediu.

A reação apaixonada do público, que incluía muitos aposentados na faixa dos 70 e 80 anos, eleitores importantes na Flórida, algumas senhoras com andadores, outras de cadeira de rodas, veteranos de guerra, jovens universitários e trabalhadores como o animado grupo do Sindicato dos Motoristas de Ônibus, deu ânimo à militância.

Todas as pesquisas no estado indicam um empate técnico, com vantagem de 1 a 3 pontos para Romney.

Na quarta e quinta-feiras a campanha de Obama vai fazer um esforço de 48 horas com o presidente fazendo comícios em vários estados sem pausa, passando por Ohio, Iowa, Virgínia, Nevada, Colorado, Wisconsin, Novo Hampshire e Flórida.

Em Las Vegas, Katy Perry se ofereceu para fazer um pocket show de última hora com o objetivo de animar a militância. Os republicanos, por sua vez, anunciaram eventos com Romney em Iowa e Nevada, estados em que Obama aparece à frente em todas as pesquisas, com vantagens entre 5% e 3%.