Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Obama anuncia morte de Bin Laden na tevê e multidão festeja em frente à Casa Branca

Internacional

"Guerra ao Terror"

Obama anuncia morte de Bin Laden na tevê e multidão festeja em frente à Casa Branca

por Redação Carta Capital — publicado 02/05/2011 09h31, última modificação 02/05/2011 18h20
O líder da rede Al Qaeda morreu em um esconderijo em Abottabad, a 115 quilômetros de Islamabad, capital do Paquistão, após trocar tiros com as forças dos Estados Unidos.

Redação de CartaCapital*

O líder da rede Al Qaeda, Osama bin Laden, foi executado por forças americanas e seu corpo foi resgatado por autoridades dos Estados Unidos. O anúncio foi feito pelo Barack Obama na madrugada desta segunda-feira. “Digo às famílias que perderam seus parentes [em ataques terroristas] que a justiça foi feita”, afirmou Obama, durante o pronunciamento em cadeia nacional.

Perseguido desde 2001, após os atentados de 11 de Setembro, que deixaram cerca de 3 mil mortos em Nova York, Bin Laden foi morto em um esconderijo em Abottabad, a 115 quilômetros de Islamabad, a capital do Paquistão. A notícia da morte do líder da Al Qaeda foi recebida com surpresa no país. De acordo com a tevê Al Jazeera, ainda não havia manifestações pelas ruas, apesar de Bin Laden ser considerado um herói por muitos paquistaneses.

“Talvez aconteçam algumas manifestações em locais religiosos aqui e ali, mas nada de modo generalizado”, avaliou Kamal Hyder, correspondente da emissora árabe no Paquistão.

De acordo com Obama, o governo dos EUA havia obtido informações na semana passada sobre a localização de Bin Laden. “Na semana passada determinamos que tínhamos informação suficiente [para atacar Bin Laden]. Na noite de hoje [domingo], um pequeno time de soldados americanos levou a cabo a operação. Após um tiroteio, esses soldados mataram Bin Laden e capturaram seu corpo. Nenhum americano foi ferido e houve cuidado para que nenhum civil fosse ferido durante a operação”, afirmou à tevê. Autoridades do Paquistão afirmaram à agência de notícias Reuters que a operação é resultado de uma parceria entre a CIA, o serviço secreto dos EUA, e de tropas paquistanesas.

Bin Laden é apontado como o principal responsável pelo ataque contra as Torres Gêmeas, em Nova York, no dia 11 de setembro de 2001. Dois aviões foram sequestrados e lançados contra os edifícios, provocando a morte de cerca de 3 mil pessoas. O atentado fez com que os EUA, então liderados pelo presidente George W. Bush, lançassem uma ofensiva contra o Afeganistão, país que abrigava Bin Laden e vários integrantes de sua rede terrorista.

Logo após o anúncio da morte de Bin Laden pela imprensa, milhares de americanos foram festejar em frente à Casa Branca, aos gritos de “obrigado, Obama” e “USA”. Outros tantos, boa parte deles estudantes, cantaram o hino americano.

Antes de tornar oficial o resultado da operação militar, a imprensa americana especulou que o discurso de Obama foi adiado para que as embaixadas americanas ao redor do mundo pudessem reforçar a segurança. Ainda assim, Obama fez questão de declarar que “a guerra dos EUA não é contra o Islã, mas contra o grupo terrorista Al Qaeda”.

Bin Laden foi aliado dos americanos na guerra do Afeganistão contra os soviéticos durante os anos 1970. Os EUA ajudaram a armar o então guerrilheiro, que depois se voltaria contra os americanos à frente da rede Al Qaeda.

* Com informações do Opera Mundi e de agências internacionais.