Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Nova York quer proibir lojas de deixarem cigarros à mostra

Internacional

Contra o câncer

Nova York quer proibir lojas de deixarem cigarros à mostra

por Redação Carta Capital — publicado 19/03/2013 10h26, última modificação 06/06/2015 18h24
O prefeito Michael Bloomberg inicia nova cruzada após Justiça reverter banimento da venda de refrigerantes grandes em lojas

O prefeito de Nova York, o bilionário Michael Bloomberg, deu início a mais uma cruzada para tentar melhorar a saúde dos moradores da cidade. Em seu terceiro mandato consecutivo na metrópole, ele propôs na segunda-feira 18 uma lei que impedirá as lojas de colocar cigarros em locais à mostra dos clientes, além de aumentar as punições para contrabando e venda ilegal destes produtos.

Em entrevista coletiva, segundo o jornal The New York Times, o  prefeito afirmou que a cidade seria a primeira nos Estados Unidos a adotar essa medida. Destacou também que o cigarro é a maior causa de morte com prevenção em Nova York, matando 7 mil nova-iorquinos todos os anos.

 

 

Na última semana, Bloomberg assistiu a Justiça reverter seu banimento à venda de refrigerantes ou bebidas adoçadas de tamanho grande em cinemas, restaurantes e outros estabelecimentos para conter a onda de obesidade na cidade. A prefeitura recorre da decisão.

A nova medida deve passar pelo Conselho da Cidade, ao contrário do que aconteceu com a proibição das bebidas açucaradas. Essa ação foi diretamento ao Conselho de Saúde, um dos motivos que levou a Justiça a considerar que ela excedia a autoridade do órgão.

             

Desta vez, a resistência dos comerciantes pode ser ainda maior, pois os cigarros representam parte significativa das vendas de bares, pequenos restaurantes e outros comércios. As lojas teriam que retirar pôsteres das marcas de cigarro, mas poderiam anunciar que vendem o produto e exibir os preços.

A administração Bloomberg já atacou os cigarros antes. Conseguiu banir o fumo de quase todos os locais públicos, como praças, parques e praias, restaurantes e bares.

O prefeito também adotou outras medidas “saudáveis” durante sua administração. Ele baniu a venda de produtos com gordura trans de restaurantes e lanchonetes da cidade, além de exigir a publicação das calorias das refeições em restaurantes.

registrado em: ,