Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Morre líbio condenado por explodir avião da Pan Am

Internacional

Atentado na Escócia

Morre líbio condenado por explodir avião da Pan Am

por Redação Carta Capital — publicado 20/05/2012 12h43, última modificação 20/05/2012 16h00
Abdelbaset Al Megrahi, responsabilizado pela morte de 270 pessoas em 1988, estava solto devido a câncer terminal
Abdelbaset Ali Mohmet Al Megrahi

Abdelbaset Ali Mohmet al-Megrahi em hospital em Trípoli em setembro de 2009. Foto: Mahmud Turkia/AFP

Abdelbaset Ali Mohmet Al Megrahi, único condenado pelo atentado contra um avião da Pan Am em 1988, na Escócia, morreu neste domingo 20 em Trípoli.

Segundo o irmão do terrorista, Abdelhakim Al Megrahi, a morte ocorreu por volta das 11h (8h em Brasília). Os médicos ainda não informaram a causa de sua morte, embora ele sofresse de câncer terminal.

Abdelbaset Al Megrahi, de 60 anos, hospitalizado no mês passado em estado "muito crítico", segundo sua família, foi condenado em 2001 à prisão perpétua por seu envolvimento na explosão do avião que resultou na morte de 270 pessoas, na cidade de Lockerbie.

Em 2009, foi libertado pela justiça escocesa por razões humanitárias, o que causou uma onda de indignação, especialmente entre as famílias das vítimas.

Megrahi, um secretário de inteligência líbio, negava a responsabilidade pelo atentado, que permanece o ataque terrorista mais mortal em solo britânico.

Todas as 259 pessoas a bordo do avião, que iria de Londres a Nova York, morreram, além de outras 11 em solo.

Os investigadores chegaram a Megrahi por meio de pedaços de roupas enroladas na bomba, que foram relacionadas a um shopping em Malta e depois ao condenado. Ele e outro libio, Al Amin Khalifa Fhimah, foram indiciados pelas cortes escocesas e estadunidenses em 1991.

A Líbia, no entanto, se negou a extraditar ambos. Em 1999, após negociações, o país entregou os dois para julgamento sobre as leis escocesas, mas em solo neutro na ex-base aérea dos EUA no Campo Zeist, na Holanda.

Fhimah foi absolvido de todas as acusações.

Com informações AFP.

Leia mais em AFP Movel.

registrado em: ,