Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Mobilização pede justiça para vítimas de redes de tráfico para prostituição

Internacional

Argentina

Mobilização pede justiça para vítimas de redes de tráfico para prostituição

por Adital — publicado 04/11/2010 10h32, última modificação 04/11/2010 10h43
As organizações manifestantes pedem justiça para o caso de Mairel Mora, dominicana assassinada no mês passado em Olavarria, Buenos Aires, onde exercia a prostituição

Por Karol Assunção *

"Elas não podem mais esperar". É com essa palavra de ordem que integrantes de organizações feministas, sociais e políticas realizam, hoje (3), uma rádio aberta e uma ronda ao redor do Congresso da Argentina pelas mulheres e meninas desaparecidas e sequestradas pelas redes de tráfico para a prostituição. A mobilização está marcada para começar às 18h (horário local) em frente ao Congresso da Nação (Av. Entre Ríos e Av. Rivadavia), em Buenos Aires.Na ocasião, a Associação Civil La Casa del Encuentro vai ler um documento que será apresentado à embaixada da República Dominicana e à chancelaria da Argentina sobre a situação de mulheres e meninas da República Dominicana no país sul-americano. Isso porque, de acordo com a Associação, muitas delas são atraídas para a Argentina para se prostituírem.

Entre as demandas, estão: aparecimento de todas as mulheres desaparecidas e sequestradas pelas redes de tráfico para a prostituição; reforma da Lei de Tráfico; declaração do tráfico de pessoas como Delito de Lesa Humanidade; desmantelamento das redes de tráfico e das cumplicidades das forças de segurança e dos poderes político e judicial; assistência efetiva e programa para as vítimas e seus familiares; busca de mulheres e meninas que estão em prostíbulos; e aparecimento das mais de 600 mulheres e meninas desaparecidas.As organizações manifestantes ainda pedem justiça para o caso de Mairel Mora, dominicana assassinada no mês passado em Olavarria, Buenos Aires, onde exercia a prostituição. "Pedimos justiça por Mairel Mora, assassinada a golpes em Olavarria com a cumplicidade das redes de tráfico que exploram e traficam mulheres dominicanas para a prostituição", demandam.

Da mesma forma, solicitam que se outorgue a tutela da filha de Dana Pecci à avó da criança, Adriana Gordó. Dana também foi vítima de sequestro e assassinato em Olavarria. "Por que as cumplicidades ao redor do assassinato de Dana Josefina Pecci? Por que a justiça de Olavarria não outorga a Adriana Gordo, mãe de Dana Pecci, a tutela de sua neta?", questionam.

Para mais informações, acesse: http://www.lacasadelencuentro.com.ar/

*Matéria originalmente publicada no Adital

registrado em: