Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Mais um jornalista desaparecido no estado de Veracruz

Internacional

México

Mais um jornalista desaparecido no estado de Veracruz

por Repórteres Sem Fronteiras — publicado 29/03/2011 17h21, última modificação 29/03/2011 17h22
Desde 2000, 69 jornalistas foram assassinados no país. Desde 2003, houve 13 desaparecimentos de profissionais. Do Repórteres sem Fronteiras

Noel López Olguín, colaborador dos semanários locais Horizonte e Noticias de Acayucan e do jornal La Verdad, do estado de Veracruz, encontra-se desaparecido desde 8 de março de 2011.

Gerardo Perdomo, diretor geral da Comissão Estatal de Veracruz para a Defesa dos Jornalistas explicou a Repórteres sem Fronteiras que, após receber uma chamada telefônica, Noel López Olguín foi “resolver um assunto” em Soteapan (no Sul do estado). Desde então, não houve notícias dele. No dia seguinte do seu desaparecimento, 9 de março, o automóvel do repórter foi encontrado na rodovia de Soteapan, sem nenhum sinal que permita elucidar o sucedido.

Até o momento, a principal hipótese é que ele tenha sido sequestrado por um grupo armado, segundo algumas fontes. O silêncio de pessoas próximas e dos colegas do jornalista, aparentemente por medo de represálias, fortalece a priori esta hipótese. Neste caso, a investigação ocorre numa corrida contra o tempo, por isso pedimos às autoridades de Veracruz que mobilizem o máximo de recursos para encontrar Noel López Olguín.

Estado na costa do Golfo do México, Veracruz representa um ponto de trânsito chave para o tráfico de drogas em direção aos Estados Unidos. O temido grupo paramilitar Los Zetas assola de forma particular a região de Jáltipan, limítrofe com o estado de Oaxaca, onde vive e trabalha Noel López Olguín. Os sequestros e assassinatos são recorrentes. Os futuros “mecanismos de proteção” para os jornalistas, ratificados pela Secretaria de Governo no dia 3 de novembro, encontram aqui necessidade de aplicação.

O diário La Verdad denunciou na sua edição de 25 de fevereiro o sequestro dos jornalistas Fabián Antonio Santiago Hernández e Margarito Santiago Pérez (pai de Fabián), por sorte liberados cinco horas mais tarde. Em Veracruz, dois jornalistas estão desaparecidos: Evaristo Ortega Zárate, diretor do semanário Espacio en Colipa, desde 19 de abril de 2010 e Jesús Mejía Lechuga, empregado da rádio MS-Noticias em Martinez de la Torre, desde o dia 10 de julho de 2003.

No México, país de altíssimo risco para a imprensa, 69 jornalistas foram assassinados no ano de 2000, sendo sete originários de Veracruz (entre 2002 e 2009). O país conta, incluindo Noel López Olguín, 13 jornalistas desaparecidos desde 2003.

Enquanto que a ofensiva federal contra o narcotráfico, empreendida em dezembro de 2006, deixou um saldo de mais de 35 mil mortos em todo o país, Repórteres sem Fronteiras continua apoiando a campanha dos cartunistas da imprensa “Basta de Sangre!” – “No + sangre”. Durante o ano, cada postura sobre a situação do México dará lugar a publicação de uma nova ilustração.

registrado em: