Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Japão elege novo premiê

Internacional

Rodízio?

Japão elege novo premiê

por Agência Brasil publicado 29/08/2011 10h17, última modificação 29/08/2011 10h17
O ex-ministro das Finanças, Yoshihiko Noda, é o sexto a comandar o país em cinco anos

Por Renata Giraldi*

Brasília - O Japão elegeu nesta segunda-feira 29 o novo primeiro-ministro do país, Yoshihiko Noda, de 54 anos, que ocupava o Ministério das Finanças. Ele foi eleito pelo Partido Democrático e será nomeado oficialmente na terça-feira 30 pelo Parlamento.

Noda é o sexto primeiro-ministro do Japão em cinco anos. Ele substitui Naoto Kan, que renunciou na última sexta-feira 26 depois de sofrer críticas pela demora nas ações referentes ao terremoto seguido por tsunami, em 11 de março.

Defensor da disciplina fiscal, Noda disse nesta segunda-feira que vai trabalhar para resolver a crise e pediu unidade para enfrentar os desafios atuais. “Para resolver o problema [da usina nuclear] de Fukushima Daiichi, reconstruir a zona devastada, lutar contra a valorização do iene e a deflação, é preciso que todos caminhemos no mesmo sentido”, disse.

O terremoto seguido por tsunami teve os impactos agravados com os vazamentos e explosões nucleares da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Nordeste do Japão. A região ao redor da usina foi considerada toda contaminada, residências foram esvaziadas e famílias inteiras ainda vivem em locais provisórios. A venda e o consumo da carne e dos vegetais produzidos na região estão proibidos.

No segundo turno das eleições, Noda obteve 215 votos na disputa com o ministro da Economia, Comércio e Indústria, Banri Kaieda, de 62 anos, que conseguiu 177 do total de 392 depositados nas urnas.

No primeiro turno das votações havia outros candidatos - o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, Seiji Maehara, de 49 anos, apontado como favorito dos eleitores japoneses, segundo pesquisas de intenção de voto, o ministro da Agricultura Michihiko Kano e o ex-ministro dos Transportes Sumio Mabuchi.

Com informações da emissora estatal de televisão do Japão, NHK, e a agência pública de notícias de Portugal, Lusa.

*Publicado originalmente em Agência Brasil.

registrado em: