Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Investimento estrangeiro na América Latina subiu 8% no primeiro semestre

Internacional

Economia

Investimento estrangeiro na América Latina subiu 8% no primeiro semestre

por AFP — publicado 24/10/2012 09h44, última modificação 06/06/2015 18h42
Brasil é o principal destinos dos recursos, mas o crescimento do período foi puxado pelo resultado do Chile
Piñera

O presidente do Chile, Sebastián Piñera. Foto: Carl Court / AFP

SANTIAGO (AFP) - Os investimentos estrangeiros diretos (IED) na América Latina aumentaram 8% no primeiro semestre, totalizando 94,331 bilhões de dólares em relação ao mesmo período do ano anterior, liderados pela mineração e pelos hidrocarbonetos, informou a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) na terça-feira 23.

No período foi registrada uma "relativa estabilidade dos fluxos para o Brasil (com leve queda de 2%), país que representa 46% da IED recebida pela região em 2012 e que se confirma como o principal destino na América Latina e no Caribe".

"O aumento das receitas de IED é explicado pela estabilidade e pelo dinamismo econômico na maioria dos países e os altos preços das matérias primas, que continuam incentivando os investimentos em mineração e hidrocarbonetos", explicou a Cepal em um comunicado.

O organismo afirmou que o panorama geral dos fluxos de IED para a região apresenta um certo nível de heterogeneidade, com quedas em vários países. Contudo, o "forte aumento dos investimentos no Chile (80%), Argentina (42%), República Dominicana (145%), Peru (31%) e Colômbia (18%) faz com que o resultado global seja positivo".

Por outro lado, os investimentos de empresas latino-americanas no exterior registraram alta de 129%, devido, principalmente, a empresas do México e do Chile.

Mais informações em AFP Movel.