Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Hosni Mubarak retorna de maca a Tribunal

Internacional

Egito

Hosni Mubarak retorna de maca a Tribunal

por Agência Brasil publicado 02/01/2012 09h51, última modificação 02/01/2012 09h54
Ex-presidente egípcio pode ser condenado pela morte de manifestantes durante movimento que o tirou do poder em 2011

O ex-presidente está internado em um hospital militar, nos arredores da capital egípcia.

Mubarak renunciou ao poder em 11 de fevereiro de 2011. Antes, foi alvo de 18 dias de protestos no país. Ele tentou conter as manifestações com forte repressão. Para adversários políticos, o ex-presidente e os filhos são os responsáveis por essas mortes, mas a defesa de Mubarak nega as acusações.

 

Deitado em uma maca, o ex-presidente do Egito Hosni Mubarak, de 83 anos, foi levado nesta segunda-feira 2 a julgamento na Academia de Polícia do Cairo, a capital egípcia. O julgamento foi interrompido pela terceira vez no último dia 28 e marcado para recomeçar nesta segunda-feira. Ele e os filhos Alaa e Gamal são acusados de corrupção e de mortes de manifestantes durante protestos.

Há cinco dias, quando compareceu ao tribunal, Mubarak chegou em um avião e foi transportado de maca até a sala de audiências. O ex-presidente está internado em um hospital militar, nos arredores da capital egípcia. Há informações de que ele sofre de problemas cardíacos e faz tratamento para combater um câncer.Há relatos de que as autoridades do país pretendem agora acelerar o processo e chegar a um veredito até abril.

Mubarak renunciou ao poder em 11 de fevereiro de 2011. Antes, foi alvo de 18 dias de protestos no país. Ele tentou conter as manifestações com forte repressão. Foram registradas violência e mortes. Para adversários políticos, o ex-presidente e os filhos são os responsáveis por essas mortes, mas a defesa de Mubarak nega as acusações.

Paralelamente, Mubarak, Alaa e Gamal são acusados de corrupção, desvio de recursos públicos e malversação das verbas de governo. Nas sessões anteriores de julgamento, o ex-presidente esteve acompanhado pelos filhos.

Na semana passada, o julgamento de Mubarak foi acompanho por um grupo de manifestantes que pediam Justiça. Eles também criticaram a Junta Militar, que sucedeu o ex-presidente, alegando que há proteção a Mubarak.

registrado em: ,