Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Hamas aceitará Israel?

Internacional

Oriente Médio

Hamas aceitará Israel?

por Viviane Vaz, em Jerusalém — publicado 28/04/2011 09h49, última modificação 29/04/2011 14h45
Parlamentar palestino, Mustafa Barghouti, garante que o Hamas concordou com solução de dois Estados: Israel e Palestina
Hamas aceitará Israel?

Parlamentar palestino, Mustafa Barghouti, garante que o Hamas concordou com solução de dois Estados: Israel e Palestina. Por Viviane Vaz. Foto: Jack Guez/AFP

Nos próximos dias todas as facções políticas palestinas, a pedido do Egito, deverão se reunir para assinar um acordo de reconciliação no Cairo. A informação foi publicada nesta quarta-feira pela agência estatal egípcia Mena, seguida ao acordo anunciado entre os principais movimentos rivais palestinos --Hamas e Fatah-- na capital egípcia. O Fatah, liderado pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, e o movimento político Hamas --também considerado grupo terrorista por muitos países ocidentais, prometeram formar um governo transitório de união.

O acordo pela união política palestina--que motivou as manifestações de centenas de jovens no mês passado em Gaza, Belém e Ramalah-- parecia longe de ser alcançado. Por um lado, o Hamas não reconhecia a autoridade de Abbas, sempre frisando que ele extrapolou seu período de mandato em mais de um ano. Por outro, integrantes do Fatah discordavam do radicalismo do Hamas na Faixa de Gaza desde 2007 e estão dispostos a negociar com o governo israelense a solução por dois Estados –ideia pelo menos até ontem rejeitada expressamente pelo Hamas.

“O Hamas está pronto para uma solução de dois Estados e está comprometido com o cessar-fogo (com Israel)”, garantiu nesta quarta-feira Mustafa Barghouti, membro independente do Conselho Legislativo Palestino, em entrevista ao canal France 24. Segundo Barghouti, que disputou a presidência em 2005 e defende a resistência não-violenta contra Israel, o “problema antes era que o governo israelense do premiê Benjamin Netanyahu não queria negociar com Abbas por todos estes anos, porque não representava todos os palestinos”. “Agora Netanyahu tem a oportunidade”, completou. “A divisão deu mais força à ocupação. Hoje nos abrimos uma nova página”, confirmou o vice-chefe da divisão política do Hamas, Moussa Abu Marzuk, durante a coletiva de imprensa no Cairo.

O premiê israelense, porém, foi taxativo ao afirmar que Abbas terá de escolher entre a paz com Israel ou com o Hamas. "Não há possibilidade de paz com ambos. O Hamas quer destruir Israel e lança foguetes contra nossas cidades e nossas crianças", disse Netanyahu. "Espero que a Autoridade Palestina escolha corretamente e que escolha a paz com Israel. A escolha está em suas mãos", completou.

Eleições

O chefe da delegação do Fatah, Azzam al-Ahmad, destacou que o governo transitório será responsável por organizar a votação nos territórios palestinos. “Concordamos em formar um governo composto por personalidades independentes que deverão começar a preparar as eleições presidenciais e parlamentares”, disse Azzam. “As eleições deverão acontecer em até oito meses a partir de agora”, detalhou.

registrado em: