Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Credores inspecionam plano da Grécia

Internacional

Crise financeira

Credores inspecionam plano da Grécia

por Brasil Econômico — publicado 28/09/2011 11h05, última modificação 28/09/2011 11h11
A Alemanha sinaliza que o novo resgate pode ser renegociado diante do debate sobre a imposição de prejuízo aos investidores

Os credores da Grécia enviaram uma equipe a Atenas para inspecionar o plano de austeridade exigido em troca de empréstimos.

Por sua vez, a Alemanha sinalizou que o novo resgate pode ser renegociado diante do debate sobre a imposição de prejuízo aos investidores de bônus.

A "troika" de inspetores, que ameaçou interromper a ajuda financeira se Atenas não agisse mais rápido, deve começar as negociações na quinta-feira 29 sobre o plano fiscal.

A chanceler alemã, Angela Merkel, sugeriu que partes do segundo resgate planejado para o país, de 109 bilhões de euros, podem ser reabertas, dependendo do resultado da inspeção da troika.

"Nós temos que esperar para ver o que a troika descobre e se ela nos dirá que teremos que renegociar ou não", afirmou Merkel à TV grega NET, sem dar detalhes.

Centenas de filiados ao partido comunista da Grécia se reuniram em frente ao Ministério de Finanças com um cartaz dizendo "Nós não pagaremos!". Eles planejam queimar as contas do novo imposto de renda introduzido em meados do ano.

Se for considerado adequado pelos investidores, a Grécia receberá um empréstimo de 8 bilhões de euros, necessários para que o país possa se financiar em outubro, deixando-o mais perto de começar o segundo resgate.

O novo pacote visa aliviar o montante de dívida da Grécia ao impor uma perda de 21% para os investidores de bônus gregos.

Não há ainda acordo entre os governos da Zona do Euro sobre se é preciso uma renegociação do pacote grego ou um plano para alavancar o fundo de resgate do bloco.

A Câmara Baixa do Parlamento alemão vota na quinta-feira a ampliação do escopo do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF), como acertado por líderes da União Europeia em 21 de julho.

Greves

Na noite de terça-feira 27, a polícia dispersou com gás lacrimogênio pessoas que protestavam contra as medidas de austeridade do governo na praça Syntagma, em Atenas - o epicentro das manifestações.

Motoristas de táxi, de ônibus e operadores de trem e metrô estavam em greve nesta quarta, gerando longos engarrafamentos.

Vários outros profissionais também estavam paralisados e havia passeatas planejadas no Parlamento mais tarde.

Os parlamentares abriram caminho para a troika na terça-feira, ao aprovar uma lei de imposto imobiliário que aprofunda a recessão econômica e aumenta a pressão sobre os gregos, que sofrem com o aperto de cintos do governo.

*Matéria originalmente publicada em Brasil Econômico

registrado em: