Você está aqui: Página Inicial / Internacional / FBI divulga fotos dos suspeitos do atentado de Boston

Internacional

Estados Unidos

FBI divulga fotos dos suspeitos do atentado de Boston

por Redação Carta Capital — publicado 18/04/2013 20h56, última modificação 18/04/2013 21h07
Polícia norte-americana pede ajuda à população para identificar os dois homens
000_Was7464591

Fotografias de um dos suspeitos é exibida pelo FBI. Foto: Stan Honda / AFP

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira 16, o FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, divulgou fotos e vídeos de dois homens suspeitos de serem os autores do duplo atentado a bomba em Boston, na segunda-feira 15, pedindo à população que ajude a identificá-los.

De acordo com o agente do FBI encarregado do escritório em Boston, Rick DesLauriers, os dois suspeitos são extremamente perigosos e podem estar armados. "Nenhuma informação, por menor que seja, é insignificante para ser investigada por nós", disse.

As fotos dos suspeitos estão disponíveis na página do FBI (confira aqui e aqui) na Internet e estão sendo amplamente divulgadas pela imprensa americana.

"Por mais de 100 anos, o FBI tem considerado o público seus olhos e ouvidos," disse DesLauriers. "Alguém lá fora conhece estes indivíduos." Investigadores se baseiam em evidências coletadas após as explosões, que mataram três pessoas e feriram cerca de 180. DesLauriers afirmou que nenhuma outra informação será divulgada, indicando aos jornalistas: "Este é o nosso foco agora".

As primeiras informações do FBI e das autoridades locais indicam que as bombas foram montadas dentro de panelas de pressão com capacidade para seis litros. Havia, dentro dos artefatos, pólvora e inúmeros objetos metálicos, como pregos e pequenas bolas de ferro, o que indica a intenção do autor de ampliar os efeitos da explosão. Segundo a polícia, eram duas bombas-relógio, acionadas por cronômetros de cozinha, e não por controle remoto, como se pensou inicialmente. Elas teriam sido colocadas em sacolas plásticas ou mochilas e deixadas no chão.

Nos últimos anos, o governo dos Estados Unidos alertou suas agências federais a respeito da fabricação de bombas em panelas de pressão, estratégia usada pela rede terrorista Al-Qaeda. Em 2010, a revista Inspire, publicada em inglês e ligada ao braço da Al-Qaeda na Península Arábica, dedicou diversas páginas à fabricação deste tipo de bomba, dando dicas de como montá-la. Ocorre que este tipo de estratégia já foi usado também por radicais da extrema-direita dos Estados Unidos.

Em entrevista à rede de tevê norte-americana CNN, o ex-diretor-assistente do FBI, Tom Fuentes, afirmou que é possível ver sinais de terrorismo interno e externo no ataque, o que tem dificultado a investigação policial. Chama a atenção o fato de que nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, o que subverte a lógica do terrorismo político: usar a violência para fazer avançar uma determinada causa. Sem autor, não há causa.

Com informações da AFP