Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Exército chinês seria responsável por ataques cibernéticos contra os EUA, indica empresa

Internacional

Guerra silenciosa

Exército chinês seria responsável por ataques cibernéticos contra os EUA, indica empresa

por AFP — publicado 19/02/2013 11h56, última modificação 06/06/2015 18h42
Segundo a empresa Mandiant, o governo chinês está totalmente a par das atividades dos hackers

WASHINGTON (AFP) - O Exército chinês controla alguns dos hackers mais extremos do mundo, destaca uma empresa americana de segurança que identificou a fonte de vários ataques virtuais contra os Estados Unidos em um imóvel de Xangai.

A Mandiant, uma das empresas que presta consultoria ao governo americano na área de segurança na internet, descobriu que as organizações que atacam os meios de comunicação americanos, agências do governo e empresas comerciais na internet "estão baseadas principalmente na China e que o governo chinês está totalmente a par de suas atividades". As investigações da Mandiant duraram três anos.

O relatório se concentra em um grupo, o "APT1", acrônimo de "Advanced Persistent Threat", que teria roubado uma grande quantidade de informações e tinha como alvos infraestruturas importantes, como as atividades energéticas americanas. "Acreditamos que o APT1 é capaz de executar com êxito uma campanha de espionagem que também se estende à internet porque recebe um apoio direto do governo", afirma Mandiant.

A organização seria de fato ligada ao Exército de Libertação do Povo, denominada Unidade 61398, e a origem dos ataques virtuais foi rastreado até um imóvel de 12 andares no subúrbios de Xangai, conclui a empresa.

Leia mais em AFP Movel

registrado em: