Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Ex-presidente tcheco Vaclav Havel morre aos 75 anos

Internacional

República Tcheca

Ex-presidente tcheco Vaclav Havel morre aos 75 anos

por AFP — publicado 18/12/2011 10h08, última modificação 06/06/2015 18h15
Havel se reuniu em Praga com o Dalai Lama, chefe espiritual dos budistas tibetanos, antes de voltar para sua casa de campo.
Vaclav Havel

O ex-presidente tcheco foi o grande artífice da transição do comunismo para o capitalismo do País nos anos 1990

PRAGA, República Tcheca - O ex-presidente tcheco Vaclav Havel, que durante um longo tempo esteve afastado da vida pública por motivo de doença, faleceu na madrugada deste domingo aos 75 anos, anunciou seu gabinete.

O artífice da "Revolução de Veludo" anticomunista de 1989, chefe do Estado tchecoslovaco e posteriormente tcheco entre 1989 e 2003, morreu enquanto dormia, segundo sua porta-voz, Sabina Tancevova.

Uma pneumonia mal curada na prisão e um câncer de pulmão lhe trouxeram diversos problemas de saúde. Havel passou cinco anos na prisão durante a era comunista, antes de 1989.

Havel foi operado em dezembro de 1996 de um câncer do pulmão direito. Além de uma bronquite crônica, frequentemente sofreu problemas cardíacos e intestinais.

Durante os últimos meses, Havel passava a maior parte do tempo em sua casa de campo, situada a 150 km de Praga, depois de ter sido hospitalizado em março por uma pneumonia grave.

Esta doença foi acompanhada por diversas complicações, incluindo "a perda de equilíbrio, a fraqueza da memória e a perda de peso", explicou Havel em uma entrevista.

No sábado da semana passada, Havel se reuniu em Praga com o Dalai Lama, chefe espiritual dos budistas tibetanos, antes de voltar para sua casa de campo.

Líder da transição pós-comunismo

Dramaturgo de formação, nos anos 1970 Havel passou a escrever peças que criticavam a falta de liberdade do regime comunista na República Tcheca, que vivia sob a égide da União Soviética. Por conta delas, ficou preso entre 1979 e 1983.

Ao sair da cadeia, passou a liderar a resistência pacífica contra os comunistas, o que entrou para a história como "Revolução de Veludo". Com o colapso soviético de 1989, Vaclav Havel foi o candidato natural a presidente do país. Venceu de forma quase unânime.

Nos últimos anos, manteve-se como personagem importante da política tcheca, mas com pouco apoio popular.

registrado em: