Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Em carta, Chávez pede 'espírito de combate'

Internacional

Venezuela

Em carta, Chávez pede 'espírito de combate'

por Agência Brasil publicado 05/02/2013 10h17, última modificação 05/02/2013 10h17
"Nada é terminado quando ainda há a fazer”, ressalta o presidente venezuelano em mensagem lida por Nicolás Maduro

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente em exercício da Venezuela, Nicolás Maduro, leu na segunda-feira 4, à noite, uma mensagem do presidente Hugo Chávez, que está em tratamento em Cuba, para o povo venezuelano. No texto, Chávez diz que o “espírito de combate” deve ser mantido para levar adiante os princípios da Revolução Bolivariana. A mensagem se refere aos 21 anos de rebelião cívico-militar de 1992.

"Nada é terminado quando ainda há a fazer”, ressalta Chávez, na sua mensagem. "Nós ainda temos muito na pátria para libertar e é por isso que precisamos estar cada vez mais unidos como um povo", acrescenta. Maduro, que é o vice-presidente do país, leu o texto na Praça Pagüita próximo ao Palácio de Miraflores (sede do governo federal), em Caracas, capital venezuelana.

Maduro lembrou que foi a primeira vez, em 21 anos, que Chávez não pôde estar presente na comemoração da data. Desde dezembro, o presidente está em tratamento, em Havana, Cuba, para o combate a um câncer na região pélvica. Ele foi submetido a uma cirurgia para a retirada do tumor e sofreu uma série de complicações.

A rebelião, ocorrida há 21 anos, foi liderada por Chávez. Na mensagem ontem, o presidente disse que "naquele dia memorável todas as lutas foram reivindicadas". "Todos somos arquitetos de um país que finalmente tomou em seus braços a bandeira bolivariana para renascer na luz da dignidade e das profundezas do coração do povo", diz ele no texto.

*Com informações da agência pública de notícias da Venezuela, AVN

registrado em: ,